Exclusivo Campeão do mundo por Inglaterra doa cérebro para investigação de doenças

Antigo goleador Geoff Hurst ficou impressionado com as mortes de Jack Charlton e Nobby Stiles, que sofreram de demência, a mesma doença diagnosticada a Bobby Charlton, outra das estrelas da seleção inglesa e do Manchester United na década de 1960.

Geoff Hurst foi o grande herói da maior conquista do futebol inglês ao nível de seleções. Foi ele o autor do hat trick na final do Mundial de 1966 que permitiu à Inglaterra sagrar-se campeã mundial ao vencer, em Wembley, a República Federal Alemã, por 4-2.

Mais de 54 anos depois, Hurst quer agora marcar o golo da sua vida. Decidiu doar o seu cérebro à ciência, pois está determinado em ajudar a descobrir até que ponto os cabeceamentos na bola contribuem para o desenvolvimento de doenças neurodegenerativas, como a demência ou o Alzheimer. E tudo porque ficou chocado com as mortes dos companheiros de seleção Jack Charlton e Nobby Stiles, respetivamente em julho e outubro deste ano, e que sofreram de demência nos últimos anos de vida. Uma doença que também foi diagnosticada a Bobby Charlton, outro dos heróis dessa seleção, no início deste mês de novembro. "Se eu puder ajudar com a minha doação será fantástico, sobretudo para as outras pessoas", assumiu Hurst.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG