Semana num minuto

A semana começou com um filme português a ser premiado em Barcelona e acabou com o Papa Francisco a mudar as responsabilidades judiciais no Vaticano. Pelo meio, o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa fez um discurso muito elogiado e o país avança praticamente todo hoje para um desconfinamento quase em pleno.

Sábado

Filme português recebe dois prémios em Barcelona

Inspirado em casos verídicos de desaparecimento de crianças - como o de Rui Pedro, visto pela última vez em 1998 quando tinha 11 anos -, o filme "Sombra", do realizador português Bruno Gascon, foi duplamente premiado no Festival de Cinema Barcelona-Sant Jordi. Recebeu o prémio de melhor obra, atribuído pela Associação Catalã de Críticos, e o galardão "Filme-História", destinado ao "melhor filme pelos seus valores históricos", explicou a organização. O filme é protagonizado por Ana Moreira, à frente de um elenco com, por exemplo, Vítor Norte, Lúcia Moniz, Sara Sampaio e José Raposo.

Domingo

O Óscar do dia foi para... Marcelo Rebelo de Sousa

Em dia de Óscares da Academia norte-americana, os elogios quase unânimes foram para o Presidente da República. O discurso de Marcelo Rebelo de Sousa na cerimónia oficial que assinalou o 47.º aniversário do 25 de Abril de 1974 - em que apelou a que o país olhe para o seu passado sem complexos nem intolerâncias - recolheu elogios de praticamente todos os quadrantes políticos. O dia ficou ainda marcado pelo regresso do desfile à Avenida da Liberdade, desta feita com duas manifestações em vez de uma. Já nos EUA, na cerimónia dos Óscares, o filme Nomadland recebeu três estatuetas e foi o mais galardoado.


Segunda-feira

A irritação do ministro que faz muitas reuniões

O ministro Pedro Nuno Santos, talvez ainda imbuído do espírito dos Óscares que foram anunciados na véspera, decidiu atribuir-se o prémio de "o ministro que mais se reúne com os sindicatos". Questionado pelos trabalhadores da Infraestruturas de Portugal, em Valença, o governante com a tutela da empresa irritou-se depois de ser acusado de não ouvir os trabalhadores. "Se há coisa que faço é reunir com sindicatos e comissões de trabalhadores. Faço mais do que qualquer um já fez nesta funções", garantiu o ministro.


Terça-feira

Duarte Lima julgado em Portugal por homicídio no Brasil

Doze anos depois da morte de Rosalina Ribeiro no Brasil, ficou a saber-se que Duarte Lima, o principal suspeito do homicídio, vai ser julgado em Portugal. Uma decisão do Tribunal Central Criminal de Lisboa contestada pelo anterior deputado do PSD, que está a cumprir uma pena de seis anos de prisão por um outro processo, de burla e branqueamento de capitais. O advogado de Duarte Lima defendeu que o julgamento deveria acontecer no Brasil pois a antiga secretária do milionário Tomás Feteira foi morta naquele país, as testemunha estão lá também. Argumento que não foi aceite aguardando-se agora a marcação da data do julgamento.

Quarta-feira

100 dias. Joe Biden e a sua versão do futuro dos EUA

"Os Estados Unidos estão outra vez em movimento. Não podemos parar agora". Esta foi uma das frases-chave do discurso com que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assinalou os 100 dias no cargo. O líder dos EUA aproveitou o momento para lembrar o cumprimento de uma das suas promessas. "Prometi 100 milhões de vacinas [contra a] covid-19 em 100 dias", disse, para frisar que afinal foram mais do dobro, 220 milhões. Entre outras decisões políticas, salientou que vai propor o aumento de impostos para quem ganhe mais de 329 mil euros por ano, a subida do salário mínimo e garantiu ainda que o país vai crescer em 2021 ao maior ritmo dos últimos 40 anos.

Quinta-feira

Desconfinamento avança. Exceto para sete concelhos

Só sete concelhos e duas freguesias (Odemira) não voltam, pelo menos durante uma semana, ao ritmo pré-pandemia. Animado pela estabilidade em baixa do número de casos e de mortes das últimas semanas, o Governo decidiu avançar para a quarta fase do desconfinamento. Manteve, todavia, algumas restrições:, cafés restaurantes, pastelarias têm de fechar às 19.00 ao fim de semana e às 22.30 durante a semana, o desporto continua sem espetadores e as discotecas fechadas. O primeiro-ministro António Costa deixou, no entanto, um aviso: se a situação pandémica piorar o país volta atrás no desconfinamento.

Sexta-feira

Papa Francisco acaba com privilégios judiciais no Vaticano

O Papa Francisco decidiu em dois dias voltar a "mexer" com o Vaticano. Começou na quinta-feira com a divulgação de um regulamento anticorrupção. Por exemplo, qualquer empregado do Vaticano deixa de poder receber prendas relacionadas com o seu trabalho com valor acima dos 40 euros. Já esta sexta-feira, ficou-se a saber que Francisco acabou com privilégios judiciais para os cardeais e bispos. O Papa emitiu um motu proprio (documento pontifício) anunciando que aqueles passam a estar submetidos à justiça ordinária do Vaticano em julgamentos que até agora eram da competência do Tribunal Supremo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG