25 milhões. Apple multada por atualizações que deixam iPhones mais lentos

O organismo de defesa do consumidor francês anunciou que a Apple concordou em pagar 25 milhões de euros (27,4 milhões de dólares) por não informar os seus clientes proprietários de iPhone que as atualizações de software podem deixar mais lentos os aparelhos mais antigos.

O escândalo eclodiu em dezembro de 2017, quando a gigante tecnológica dos EUA admitiu que o seu software iOS mais recente estava a prejudicar o desempenho de telefones mais antigos, cuja bateria estava a deteriorar-se.

Os críticos acusaram a empresa de forçar clandestinamente os utilizadores a comprar novos telefones mais cedo do que o necessário e os protestos forçaram a Apple a atualizar o software e a oferecer descontos ​consideráveis ​nas substituições de baterias.

Em França, uma queixa da associação Halt Planned Obsolescence (HOP) levou os procuradores do Ministério Público a abrirem uma investigação, em janeiro de 2018.

"Os proprietários de telefones não foram informados de que a instalação das atualizações do iOS (10.2.1 e 11.2) poderia tornar mais lentos os seus dispositivos", disse a Direção Geral da Concorrência, do Consumo e do Combate à Fraude (DGCCRF), em comunicado.

"Esta é uma vitória histórica, tanto para os consumidores quanto para o meio ambiente", disseram os co-fundadores da HOP, Laetitia Vasseur e Samuel Sauvage, acrescentando que consideram ainda apresentar queixas por danos adicionais causados aos clientes do iPhone.

A Apple saudou o acordo com o DGCCRF, que permitirá evitar um julgamento público potencialmente embaraçoso.
"O nosso objetivo sempre foi criar produtos seguros, apreciados pelos nossos clientes, e fazer iPhones que durem o máximo possível é uma parte importante disso".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG