Endividamento de empresas e particulares cresce 10,1 mil milhões

O endividamento de privados aumentou 4,4%, relativamente a junho do ano passado, o que equivale a mais 3,2 mil milhões de euros.

O endividamento do setor não financeiro português aumentou 24,1 mil milhões de euros no primeiro semestre deste ano. Os dados do Banco de Portugal, divulgados esta segunda-feira, indicam que as administrações públicas, empresas e particulares, alcançaram um endividamento total de 794,8 mil milhões de euros, de janeiro a junho de 2022.

Deste total, uma tranche de 357,7 mil milhões de euros são referentes ao setor público (administrações públicas e empresas públicas), o que equivale a um crescimento de 14 mil milhões de euros. Como explica o Banco de Portugal em comunicado, "a subida do endividamento do setor público distribuiu-se, essencialmente, pelo exterior e pelo setor financeiro com incrementos de 6,9 e 5,3 mil milhões de euros, respetivamente".

No que ao endividamento das empresas privadas e particulares diz respeito, o Banco de Portugal afirma ter crescido, respetivamente, 4,1% e 4,4% em relação a junho de 2021. O que significa que o endividamento do setor privado aumentou 10,1 mil milhões de euros. Esta subida é na sua maioria resultado do acréscimo do endividamento das empresas privadas, em 6,9 mil milhões de euros. O aumento verificou-se em especial junto do exterior, do setor financeiro e das empresas.

Quanto aos particulares, foi junto do setor financeiro que se registou um aumento do seu endividamento, em 3,2 mil milhões de euros.

No entanto, e como explica o Banco de Portugal, "apesar das subidas nominais do endividamento do setor não financeiro, em percentagem do PIB, observou-se uma redução do rácio, refletindo o aumento do PIB". Assim, e nos primeiros seis meses deste ano, o endividamento do setor não financeiro diminuiu de 364,7% para 358,9% do PIB. O endividamento setor público teve uma diminuição de 162,7% para 161,6% do PIB, e o endividamento do setor privado reduziu-se de 202,1% para 197,4% do PIB.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG