Contratos de arrendamento a terminar estendidos por três meses

Rendimento social de inserção, subsídio de desemprego e complemento solidário para idosos prorrogados automaticamente.

Os contratos de arrendamento prestes a caducar vão ser estendidos nos próximos meses, anunciou esta sexta-feira António Costa, o primeiro-ministro, após reunião do conselho de ministros para aprovar novas medidas de apoio às famílias e empresas devido à crise do novo coronavírus.

Além da suspensão da caducidade dos contratos, a Segurança Social vai renovar automaticamente subsídios de desemprego, complemento solidário para idosos e rendimento social de inserção, avançou Costa sobre as novas medidas de apoio social que, juntando-se às antes já anunciadas (quarentenas, apoio a salários com suspensão das aulas) deverão ficar por aqui para já.

O governo diz que quer atacar a "o problema na origem" no que toca a rendimentos das famílias: garantir a manutenção do emprego, com mais medidas de suporte de tesouraria para empresas (agora com a condição de não haver despedimentos). O primeiro-ministro pôs de parte, para já, medidas que passem pelo apoio direto à conta da luz e água, imposição de descida nas rendas, isenção de propinas nas universidades que se encontram fechadas, ou mesmo entrega direta de cheques à população (casos dos EUA e Hong Kong, na resposta à crise).

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG