Operação policial como nunca vista no Portugal-Marrocos de alto risco

Foram mobilizados mais de 10 mil efetivos para o duelo dos quartos-de-final entre portugueses e marroquinos, neste sábado, às 15.00.

Nunca se viu nada assim neste Mundial ou em qualquer outro. O Portugal-Marrocos deste sábado (15.00) foi classificado como jogo de alto risco pela segurança do Qatar 2022 e terá o maior dispositivo policial alguma vez visto num jogo de um Campeonato do Mundo de futebol. Foram mobilizados mais de 10 mil efetivos para o jogo.

"Para se ter uma ideia da enormidade da operação policial em marcha, pelo número envolvido de meios não é comparável a qualquer outra operação realizada na Europa, por exemplo", disse ao DN o superintendente Ribeiro da PSP, que lidera a força policial portuguesa em Doha, acrescentando que em 36 anos de serviço nunca viu uma operação de segurança tão gigantesca.

Num estádio com capacidade para 44 mil pessoas, são esperados 20 mil adeptos de Marrocos com bilhete e cerca de 10 mil sem ingresso, o que gera especial preocupação à organização. E segundo soube o DN, a FIFA está a ponderar disponibilizar mais ingressos aos marroquinos.

A seleção africana nunca tinha chegado aos quartos-de-final, mas os triunfos diante da Bélgica na fase de grupos e diante da Espanha nos oitavos-de-final criaram uma onda de apoio gigantesca, com milhares de adeptos a querer assistir ao momento que pode colocar a equipa nas meias-finais. Só esta sexta-feira, numa hora, esgotaram sete voos charters de Marraquexe para Doha e no sábado são esperados outros tantos. Também por isso, as fans zones serão por isso ainda mais vigiadas no pré e pós jogo.

Os portugueses com bilhete são cerca de mil e não geram grande preocupação, tal como aconteceu nos quatro encontros anteriores. Só na partida com a Suíça se registou um incidente a envolver um cidadão português, que foi mesmo detido por "comportamento impróprio" e libertado após o triunfo português (6-1), que permitiu à seleção chegar aos quartos-de-final.

Souq Waqif, a zona história de Doha, tem sido palco de alguns incidentes com adeptos marroquinos e por isso a força policial conjunta da PSP e da GNR presente no Qatar recomenda aos adeptos portugueses que evitem esse local e tentem andar em grupo. Na deslocação para o estádio que o façam preferencialmente de Uber, evitando o metro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG