Cinismo nórdico não poupa desperdício do Peru

Yussuf Poulsen apontou o único golo do encontro, ao concluir contra-ataque conduzido por Eriksen. Peru de Carrillo desperdiçou grande penalidade

grupo c Regresso amargo para o Peru a uma fase final de um Campeonato do Mundo, 36 anos após a última participação. Com uma ala direita oxigenada e conhecida do público português composta pelos loiros Advíncula (ex-V. Setúbal) e Carrillo (Benfica) e um capitão que brilhou no Sp. Braga mas também passou por Sporting e Rio Ave, Alberto Rodríguez, os incas deixaram boa imagem mas foram derrotados por uma Dinamarca (0-1) que pautou pelo cinismo.

Os sul-americanos atacaram mais e dispuseram de mais oportunidades, mas falharam no capítulo da finalização. Já depois de Carrillo ter obrigado Kasper Schmeichel a intervenção apertada (13"), Cueva desperdiçou uma grande penalidade, atirando a bola para as nuvens. Foi o primeiro penálti que não levou a direção da baliza desde 2010 e o primeiro que os peruanos falharam em Mundiais.

Quem não se sentiu minimamente incomodada com a falta de eficácia dos peruanos foi a Dinamarca, que ganhou vantagem à passagem da hora de jogo, por Yussuf Poulsen, filho de pai da Tanzânia, que concluiu da melhor forma um contra-ataque conduzido pela estrela dos nórdicos, Eriksen.

O Peru voltou à carga, fez entrar o seu melhor marcador de sempre, Paolo Guerrero, mas um remate de calcanhar do avançado do Flamengo não levou a direção da baliza (79"). Nos últimos dez minutos, brilharam os guarda-redes: primeiro Schmeichel, a travar remate de Farfán; depois Pedro Gallese, a negar o que seria o 0-2 a Eriksen.

A Dinamarca leva agora 16 jogos sem perder. O Peru viu ontem a sua série invicta terminar aos 15.

Acompanhe o resultado e as estatísticas dos jogos deste sábado clicando no gráfico que se segue.

França - Austrália (2-1, resultado final)
Argentina - Islândia (1-1, resultado final)
Peru - Dinamarca (0-1, resultado final)
Croácia - Nigéria (20.00)

Ler mais

Exclusivos