FIFA vai testar sistema semiautomático do fora de jogo

Sistema já foi testado na Alemanha, Espanha e Inglaterra e terá agora o seu "batismo oficial" na Taça das Nações Árabes, que arranca na terça-feira, no Qatar.

A Taça das Nações Árabes de futebol vai servir como primeiro grande teste do sistema semiautomático de deteção do fora de jogo, nova tecnologia que a FIFA pretende implementar no Mundial 2022, no Qatar e que Arsène Wenger anunciou em primeira mão numa entrevista ao DN em outubro.

De acordo com a FIFA, este sistema já foi testado na Alemanha, Espanha e Inglaterra e terá agora o seu "batismo oficial" na Taça das Nações Árabes, que arranca na terça-feira, no Qatar.

Nos estádios, serão colocadas "10 a 12 câmaras" na parte superior do recinto, que servirão para acompanhar os jogadores e ajudar os árbitros em dois pontos fundamentais da lei do fora de jogo: o momento em que a bola é passada ou tocada e a posição dos jogadores em relação à linha limite virtual que é criada também pela tecnologia.

Os dados recolhidos são transmitidos em tempo real para o videoárbitro (VAR), que entrará em contacto com o árbitro da partida, com este a ser sempre responsável pela decisão final.

"A decisão é tomada depois de analisada a posição dos jogadores, mas também o seu envolvimento na jogada. A tecnologia pode traçar um limite, mas a avaliação da interferência no jogo ou no adversário fica nas mãos do árbitro", explicou o responsável da arbitragem da FIFA, o italiano Pierluigi Collina.

Caso os testes sejam conclusivos, a FIFA quer implementar este sistema no próximo Campeonato do Mundo, que vai decorrer de 21 de novembro a 18 de dezembro do próximo ano.

A Taça das Nações Árabes vai ser disputada por 16 seleções, até 18 de dezembro, entre as quais as do Bahrein e Egito, treinadas por Hélio Sousa e Carlos Queiroz, respetivamente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG