Fernando Santos é o nono selecionador mais bem pago

O treinador no topo deste ranking salarial ganha quase quatro vezes mais do que o selecionador nacional

Fernando Santos é o nono selecionador mais bem pago do Campeonato da Europa de França, que se inicia esta sexta-feira. Segundo o jornal inglês Daily Mail, o selecionador nacional recebe anualmente 1,23 milhões de euros, bem abaixo do líder do ranking neste Euro 2016, que é Roy Hodgson: o técnico de Inglaterra aufere quase quatro vezes mais do que o português, ou seja, qualquer coisa como 4,47 milhões de euros por ano.

Apenas o italiano Antonio Conte se aproxima do selecionador inglês, pois recebe quatro milhões de euros. O pódio fica completo com o turco Fatih Terim, com um salário de 3,45 milhões de euros, mais 710 mil euros do que o campeão do mundo Joachim Löw (Alemanha) e mais 900 mil euros do que o campeão europeu Vicente del Bosque (Espanha).

À frente de Fernando Santos ainda estão Didier Deschamps (França), Marcel Koller (Áustria) e Martin O"Neill (Rep. Irlanda). Curioso é que 15 dos 24 selecionadores presentes no Europeu recebem abaixo de um milhão de euros, sendo o caso do russo Leonid Slutsky o mais peculiar, que acumula o cargo de selecionador nacional da Rússia com o de treinador do CSKA Moscovo e, por essa razão, não tem qualquer salário, tendo aceitado essas condições para substituir o italiano Fabio Capello. Slutsky apenas recebe prémios pelo desempenho desportivo da equipa.

Os salários dos selecionadores *

Roy Hodgson (Inglaterra): 4,47 milhões de euros anuais

Antonio Conte (Itália): 4 milhões de euros

Fatih Terim (Turquia): 3,45 milhões de euros

Joachim Löw (Alemanha): 2,74 milhões de euros

Vicente del Bosque (Espanha): 2,55 milhões de euros

Didier Deschamps (França): 1,66 milhões de euros

Marcel Koller (Áustria): 1,47 milhões de euros

Martin O'Neill (Rep. Irlanda) 1,27 milhões de euros

Fernando Santos (Portugal): 1,23 milhões de euros

Bernd Storck (Hungria): 980 mil euros

Vladimir Petkovic (Suíça): 730 mil euros

Marc Wilmots (Bélgica): 660 mil euros

Lars Lägerbäck (Islândia): 440 mil euros

Michael O'Neill (Irlanda do Norte): 320 mil euros

Chris Coleman (País de Gales): 260 mil euros

Adam Nawalka (Polónia): 260 mil euros

Ante Cacic (Croácia): 250 mil euros

Pavel Vrba (Rep. Checa): 220 mil euros

Erik Hamren (Suécia): 200 mil euros

Gianni de Biasi (Albânia) 200 mil euros

Jan Kozak (Eslováquia) 180 mil euros

Mykhaylo Fomenko (Ucrânia): 130 mil euros

Anghel Iordanescu (Roménia): 120 mil euros

Leonid Slutsky (Rússia): Só prémios

* dados do jornal inglês Daily Mail

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG