Um veterano e dois jovens deram o melhor da noite no Campo Pequeno

Nos 38 anos de alternativa, Rui Salvador e os jovens Miguel Moura e António Prates estiveram em destaque na praça da capital. Eis a crónica da corrida desta quinta-feira, feita por Catarina Bexiga.

A temporada na Monumental do Campo Pequeno está longe de ser o que sempre foi. A partir do momento em que o imóvel foi transformado num centro de lazer, a caminhada tem sido aplaudida por uns e contestada por outros. Após o período de entusiasmo motivado pela reinauguração da praça de toiros da capital, inclusive, com a realização de mais de uma dezena de espetáculos anuais, vivemos agora uma época de incerteza e preocupação. Neste ano, apenas é possível anunciarem-se quatro espetáculos. Uma temporada minimalista que contrasta com os tempos áureos.

Por outro lado, para o aficionado, o cartel da primeira quinta-feira de agosto foi pouco convincente. Apenas meia lotação preenchida, por um público fácil, num local onde a seriedade e exigência são fundamentais para a defesa da sua categoria.

A empresa escolheu para a data um curro de Vinhas, que acusou muito peso na balança, com média de 575 kg. Todavia, peso nunca será sinónimo de trapío. E foi o que aconteceu. Desiguais de apresentação, com pouca cara, destacaram-se o primeiro e o sexto, com mobilidade e encastadas investidas. O terceiro foi parado e o quarto manso, o segundo e o quinto deixaram-se tourear.

O rejoneador mexicano Emiliano Gamero apresentou-se no Campo Pequeno, atuando em primeiro lugar. Nunca entendi as confirmações de Alternativa dos rejoneadores em Portugal, exatamente, porque são rejoneadores e não cavaleiros de Alternativa, vestidos com casaca e tricórnio. O brinde de Gamero teve contornos românticos: "Vengo a cumplir un sueño en la Patria del Toreo a Caballo. Por eso brindo por mí país y por Portugal". Mas Gamero ficou-se pelo sueño; porque a sua atuação foi de paupérrimo conteúdo e contou com a benevolência do Diretor de Corrida (João Cantinho), que mandou tocar a música após o último curto e, inclusive, autorizou a volta à arena.

Em noite de aniversário de Alternativa (38.º), Rui Salvador sentiu o carinho do público da capital. O cavaleiro de Tomar tem na quadra, atualmente, um cavalo chamado Hornazo que lhe permite estar a viver um momento dulce na sua carreira. A sua atuação foi vibrante, sobretudo, pela habilidade que o cavalo revela aquando da preparação e concretização das sortes. Destaco o remate do primeiro curto, mas, especialmente, o impacto do terceiro.

Manuel Telles Bastos sofreu uma aparatosa colhida logo no primeiro ferro curto. É certo que teve valor para voltar a "pôr o pé ao estribo" e dar continuidade ao seu labor; mas daí para a frente as coisas nunca mais fluíram a seu favor.

Andrés Romero sorteou um "vinhas" manso, que esperava e se atravessava na sorte. Romero imprimiu dinâmica à sua atuação, mas a mesma veio a menos à medida que as dificuldades apresentadas pelo toiro também aumentavam.

Do meu ponto de vista, Miguel Moura protagonizou o melhor momento da noite. Montado no Xarope deu importância ao toureio de saída e apontou dois compridos (o primeiro, em sorte de gaiola) superiores. Com poderio e muito mérito. A série de curtos foi larga, mas nada que se equivalesse ao nível em que o vi na fase inicial.

A encerrar a noite, António Prates construiu uma atuação fluente e com ritmo. Muito provavelmente, entre as melhores que logrou na sua carreira.

Noite de concurso de pegas, entre três grupos de forcados. Pelos Amadores da Moita pegaram David Solo à segunda tentativa e Fábio Silva (com perseverança) à quinta. Pelos Amadores de Arronches concretizaram Luís Marques à quarta e Rafael Pimenta com uma rija pega à segunda, premiada com duas voltas à arena. Pelos Académicos de Elvas foram solistas Paulo Maurício à segunda e Gonçalo Machado à primeira, pega que venceu o troféu em disputa.

Síntese da Corrida
Praça de Toiros do Campo Pequeno (Lisboa)
Ganadaria: Vinhas, com média de 575 kg, rematados de carnes, mas pouca cara. Destacaram-se o 1.° e 6.°. Volta para o ganadero no 6.°.
Cavaleiros: Rui Salvador (volta), Manuel Telles Bastos (ovação), Emiliano Gamero (volta), Andrés Romero (ovação), Miguel Moura (volta) e António Prates (volta).
Forcados: Amadores da Moita: David Solo (volta) e Fábio Silva. Amadores de Arronches: Luís Marques e Rafael Pimenta (duas voltas). Académicos de Elvas: Paulo Maurício (volta) e Gonçalo Machado (volta).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG