Morreu o cartoonista dinamarquês que desenhou Maomé

Kurt Westergaard estava por detrás do mais polémico dos 12 desenhos publicados pelo jornal conservador 'Jyllands-Posten' a 30 de setembro de 2005, sob o nome "O Rosto de Maomé". Mostrava o profeta com uma bomba a fazer de turbante.

O cartoonista dinamarquês Kurt Westergaard, famoso pela caricatura do profeta Maomé que causou protestos entre os muçulmanos de todo o mundo, morreu aos 86 anos, revelou a família este domingo.

Westergaard morreu durante o sono, depois de um longo período de doença, indicou a família ao jornal dinamarquês Berlingske.

O ilustrador estava por detrás do mais polémico dos 12 desenhos publicados pelo jornal conservador Jyllands-Posten a 30 de setembro de 2005, sob o nome "O Rosto de Maomé". Mostrava o profeta com uma bomba a fazer de turbante.

Os desenhos passaram quase desapercebidos inicialmente, mas depois de duas semanas, houve uma manifestação em Copenhaga e os embaixadores de países muçulmanos na Dinamarca emitiram um protesto formal.

A cólera acabaria por degenerar em violência contra a Dinamarca em vários países muçulmanos, em fevereiro de 2006.

A violência ligada aos cartoons, que foram republicados em 2012 pelo jornal satírico francês Charlie Hebdo, culminou na morte de 12 pessoas na redação em Paris, em 2015.

Westergaard trabalhava no Jyllands-Posten desde meados da década de 1980 como ilustrador e segundo o Berlingske a caricatura que causou maior furor já tinha sido publicada antes, sem na altura gerar controvérsia.

Nos últimos anos da sua vida Westergaard, como muitos outros associados com os cartoons, vivia sob proteção policial num endereço secreto,

No início de 2010, a polícia dinamarquesa apanhou um homem somali de 28 anos, armado com uma faca, na casa de Westergaard. O suspeito planeava matá-lo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG