Madonna na capa da Vogue italiana: focada no futuro e em Lisboa

O plano era fazer uma retrospetiva da carreira e da vida da cantora, que completa 60 anos em agosto. Madonna propôs outro ângulo: falar de como tudo mudou desde que vive em Portugal. O artigo é sobre a cantora, mas também sobre Lisboa e Arrábida, o fado e o Tejo

Madonna é a capa de agosto da revista Vogue italiana e Lisboa é o centro da entrevista. A cantora foi fotografada nas ruas da capital portuguesa e no Parque Natural da Arrábida. A ideia seria celebrar os 60 anos da artista, mas a intérprete de "Like a Virgin" preferiu falar sobre o futuro e não escondeu que este passa por Portugal, onde vive atualmente.

"Ela não quer falar sobre o passado", disse o diretor criativo da Vogue Italia, Giovanni Bianco, à Women's Wear Daily (WWD). Então, aquele que seria um artigo de fundo sobre a carreira e os 60 anos de vida da cantora, que completa precisamente em agosto, acabou por ser uma ode a Portugal.

"Just one day out of life" (Apenas um dia fora do quotidiano) é o tema de capa, onde Madonna fala sobretudo da transformação que a sua vida sofreu com a mudança para Lisboa.

"É a história de uma nova vida, da sua mudança para Portugal para ajudar o filho David a jogar futebol - é incrível pensar em Madonna como uma mãe de um futebolista", lê-se no artigo. "Ela propôs o ângulo de Lisboa e acabou por ser uma entrevista muito pessoal, mais interessante do que fazer uma retrospetiva da artista ou uma história sobre os seus projetos", lê-se ainda.

A entrevista acaba por focar-se nos filhos da cantora, na sua paixão pela música e por cavalos, bem como no seu projeto social "Raising Malawi".

As fotografias, da autoria de Mert Alas e Marcus Piggot, foram tiradas nas ruas de Lisboa e na Herdade do Peru, no Parque Natural da Arrábida, mas também aparece o bar preferido da artista, o "Tejo", descrito "como um laboratório" onde a música de Cabo Verde se cruza com a música portuguesa, "com o fado", influências que irão surgir no próximo álbum em que a cantora está a trabalhar, avança ainda o artigo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.