Depois do Parlamento, Tauromaquia vence também na Assembleia Municipal de Lisboa

Após triunfo no Parlamento, os "valores da democracia e tolerância" voltam a derrotar proposta antitaurina do PAN, congratula-se a PróToiro, Federação Portuguesa de Tauromaquia

"A PróToiro - Federação Portuguesa de Tauromaquia assinala com satisfação o resultado da votação na Assembleia Municipal de Lisboa, que reprovou a recomendação de acabar com as touradas na capital do país, proposta apresentada pelo partido das Proibições, das políticas Anti e Não respeitadoras da diversidade social e cultural", assinala a associação num comunicado enviado ao DN.

A recomendação foi chumbada esta terça-feira pelos partidos CDS, PSD, PS, PCP e PPM, num total de 45 votos contra e apenas 25 a favor.

Depois da votação no Parlamento, esta é a segunda vitória da tauromaquia, em cinco dias, sobre projetos proibicionistas que a PróToiro diz suportarem-se numa "visão distorcida e alterada da verdade". A primeira foi obtida com os votos dos deputados de PS, PCP, PSD e CDS-PP, que chumbaram o Projeto de lei do PAN que pretendia acabar com a tourada em Portugal. "Trata-se inclusive de um desrespeito à própria Constituição da República Portuguesa, uma vez que nenhum órgão do Estado, central ou local, pode proibir o acesso à cultura."

Com estes resultados, quer na Assembleia da República, quer na Assembleia Municipal de Lisboa, a PróToiro reitera o "compromisso de defender e promover os valores da cultura e da liberdade, denunciando todas as ações que visem comprometer a legitimidade e respeito por este setor cultural e económico tão importante para o país".

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.