Conan Osíris fora da final da Eurovisão

Os finalistas são a Grécia, Bielorrússia, Sérvia, Chipre, Estónia, República Checa, Austrália, Islândia, San Marino e Eslovénia.

Os primeiros 17 países da Eurovisão atuaram esta terça-feira à noite em Telavive na primeira semifinal. Conan Osíris conseguiu arrancar uma ovação da arena Telavive Expo, mas não foi suficiente para passar à final.

Entre os finalistas a grande surpresa vai para San Marino, que esteva em último lugar nas apostas. A Austrália passou a ser uma das grandes favoritas à vitória.

A expectativa era grande e a atuação do português chegou a emocionar a plateia, mas a votação não foi suficiente para ser um dos dez países mais votados entre os 17 semifinalistas.

Antes das votações, Conan Osíris foi um dos entrevistados. "É simples de cantar com a máscara", disse Conan Osíris a Assi Azar, o apresentador, que acabou mesmo por experimentar a máscara do português.

Um dos momentos altos da noite foi a atuação de Dana International com a sua versão de Just the way you are, original de Bruno Mars. A Kiss-cam percorreu a plateia e viram-se beijos apaixonados de casais heterossexuais e gays.

A gala que começou com Netta, a vencedora do ano passado, não contou com muitos momentos surpreendentes.

A próxima semifinal é quinta-feira

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz amanhã, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.