"As mulheres são a fábrica da pop do século XXI"

Amy Winehouse, Beyoncé, M.I.A, Rhianna, Nicki Minaj e outras. Estudo na NPR elege as 200 melhores canções deste século feitas por artistas femininas e explica porque é impossível entender a pop contemporânea se não as ouvirmos.

M.I.A. ou Beyoncé? Amy Winehouse ou Adele? Se tivéssemos que fazer uma lista com as melhores canções feitas por mulheres no século XXI, quem colocaríamos no primeiro lugar?

Foi esta a pergunta que a NPR, a Rádio Pública Nacional norte-americana, uma rede que agrupa mais de 900 estações de rádio em todo o país, fez a um painel de 70 especialistas. A ideia, mais do que eleger a melhor canção, era colocar o foco na produção musical feminina desde o ano 2000. "As mulheres são a fábrica da pop do século XXI", diz Marissa Lorusso, uma das responsáveis pelo projeto Turning the Tables (que quer dizer "virar a mesa") da NPR. "Achamos que as mulheres estão no centro da inovação na música do século XXI. E, sinceramente, em geral, a contribuição das mulheres na música é muitas vezes desvalorizada. Olhamos para as listas das melhores músicas dos anos 2000 e encontramos Beyoncé e Rhianna nos primeiros lugares mas o resto da lista é em grande parte composta por homens. As cerimónias de prémios continuam a celebrar o sucesso masculino e a desprezar as mulheres: nas últimas seis edições dos prémios Grammy, por exemplo, 90,7% dos nomeados eram homens", sublinha.

Esta falta de reconhecimento acontece até mesmo quando o sucesso das artistas é inegável. Adele, por exemplo, é a artista do século XXI que mais exemplares vendeu de um disco: foram vendidas 32 milhões de cópias do seu álbum 21, lançado em 2011 (o segundo lugar é ocupado por Eminem com 27 milhões de cópias de The Eminem Show). Se olharmos para a audiência dos espetáculos no intervalo da Super Bowl, aqueles que tiveram mais espetadores foram os de Katy Perry (2015) e Lady Gaga (2017), superando todos os artistas masculinos que por lá passaram.

A verdade é que as mulheres têm um papel central na criação daquilo que é a música pop contemporânea e esse papel não tem sido devidamente reconhecido. "Queríamos corrigir esta desigualdade e documentar a contribuição das mulheres neste momento", explica Marissa Lorusso. Antes que a história da música do século XXI seja contada pelos homens. Assim, a NPR decidiu fazer uma lista com as 200 canções mais importantes do século XXI feitas por mulheres ou artistas não binários. A lista tem alguns nomes óbvios (como Rhianna, Beyoncé ou Nicki Minaj) mas é sobretudo marcada pela diversidade. E a partir dela pode-se concluir não só que não é possível entender a música do nosso tempo sem ouvir estas mulheres como também que o peso das cantoras negras e latinas tem sido enorme, sobretudo no que toca a "desafiar as categorias musicais" e "levar a música para novas direções".

A inovação e a criatividade foram os principais critérios usados para determinar quais as melhores 200 canções. Estas são as que ocupam os primeiros lugares:

1 - Paper Planes, de M.I.A (2007). O tema da artista britânica fazia parte do seu segundo álbum, Kala, e junta uma série de influências musicais (dos Clash ao rap passado pelas baladas folk) ao mesmo tempo que fala da dificuldade em conseguir um visto de trabalho nos Estados Unidos e do drama dos imigrantes e refugiados.

2 - Maps, das Yeah Yeah Yeahs (2003)
3 - Single Ladies (Put a Ring On It), de Beyoncé (2008)
4 - Back to Black, de Amy Winehouse (2006)

5 - Hold On, das Alabama Shakes (2012)
6- Royals, de Lorde (2013)
7 - 100 Days, 100 Nights, de Sharon Jones & The Dap-Kings (2007)
8 - Fallin, de Alicia Keys (2001)
9 - The Story, de Brandi Carlile (2007)
10 - F*** the Pain Away, de Peaches (2000)

Ler mais