Daily Telegraph paga 500 mil euros a Geoffrey Rush

Ator australiano que ganhou Óscar para melhor ator em 1997 acusou o jornal inglês de o ter difamado ao publicar uma noticia dizendo que tinha tido tinha um "comportamento inadequado" com a atriz Erin Norvill.

O ator australiano Geoffrey Rush, vencedor do Óscar para o melhor ator em 1997, por Shine - Simplesmente Genial, ganhou um processo por difamação que tinha colocado contra o editor de um jornal de Sydney, que o tinha acusado de comportamento inadequado com uma atriz, em 2015 na produção teatral de King Lear.

Na decisão que proferiu o juiz Michael Wigney escreveu não estar "satisfeito" com os detalhes da notícia do The Daily Telegraph, publicado pela Nationwide News, pois considerou que a história contada por Erin Norvill, antiga colega de Rush, era "inconsistente". Acrescentou que a atriz mostrava ter tendência a "exagerar e embelezar".

Michael Wigney decidiu ainda que Geoffrey Rush fosse indemnizado em 464 mil libras (580 mil euros), tendo ainda direito a uma outra compensação cujo valor será decidido mais tarde. Inicialmente, o ator australiano exigia 22 milhões de euros.

Quando apresentou o processo por difamação Rush alegou que a sua carreira estava "irremediavelmente afectada" pelas noticias do jornal.

Entre os vários prémios que ganhou, o maior destaque da carreira de Geoffrey Rush vai para o Óscar para melhor ator no filme Shine - Simplesmente Genial, em que interpreta o pianista David Helgott.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG