Chris Brown foi libertado e vai processar mulher que o acusa de violação

Depois de ser detido em Paris após uma acusação de violação, o cantor norte-americano foi libertado e fez saber que vai processar por difamação a mulher que o acusou de violação

"Chris Brown está livre. Nenhuma ação judicial foi movida contra ele. Ele contesta vigorosamente as acusações contra ele. Uma queixa por denúncia caluniosa será apresentada amanhã junto do promotor público de Paris", afirmou Raphael Chiche, o advogado do cantor norte-americano citado pelo site TMZ, na noite de terça-feira.

Um dia antes, Chris Brown ficou sob custódia policial, juntamente com o seu guarda-costas e um amigo, por uma denúncia de violação de uma mulher de 24 anos, na noite de 14 para 15 de janeiro, na suíte do hotel onde a estrela de música estava hospedada em Paris. Através das redes sociais, o cantor, de 29 anos, negou a acusação de que é alvo.

"Quero tornar perfeitamente claro... isto é falso e um conjunto de mentiras! Nunca! Perante a minha filha e a minha família, isto é uma enorme falta de respeito e vai contra a minha personalidade e os meus princípios morais", lê-se na publicação que fez no Instagram.

Apesar de ter sido libertado sem acusações, Chris Brown vai continuar na mira das autoridades francesas, uma vez que a investigação ainda decorre.

A estrela da música norte-americana é suspeito de ter violado uma mulher num quarto do hotel Mandarin Oriental, na noite de 15 para 16 de janeiro, de acordo com a revista Closer Magazine, que entrevistou a alegada vítima, identificada com o pseudónimo Karima, "uma jovem modelo".

À publicação, Karima conta que conheceu Chris Brown no hotel, tendo depois ido para uma discoteca. Relata que por volta das quatro da manhã Brown e a sua equipa decidiram voltar ao hotel e que a convenceram a ir com eles. Afirmou que já no quarto do Mandarim Oriental terá sido violada pelo cantor, pelo guarda-costas e por um amigo da estrela norte-americana.

Esta não é a primeira vez que Brown enfrenta problemas com a justiça. Em 2009 foi condenado por agredir a namorada da altura, a cantora Rihanna. Já em 2016 foi preso por agressão com recurso a arma, tendo recusado a acusação.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG