A "Guerra dos Tronos" chegou ao fim. A surpresa de quem se sentou no trono

Último episódio da série foi transmitido esta madrugada e volta a passar às 22.15 desta noite. (Este artigo tem spoilers)

Depois de oito anos de Guerra dos Tronos, a série chegou ao fim esta madrugada. Finalmente os fãs ficaram a saber quem se senta no trono cobiçado desde a primeira temporada. Os Targaryens tentaram a todo o custo voltar para o trono que lhes tinha sido tirado por Jaime Lannister, o King Slayer, mas esse plano falhou.

Numa reviravolta mais ou menos esperada - dada a espiral de loucura em que Daenerys caiu na conquista de Porto Real -, Jon Snow (ou Aegon Targaryen) acaba por matar a sua rainha e nessa decisão hipoteca as hipóteses de subir ao trono.

Mas voltemos ao início. Numa Porto Real em cinzas, Tyrion tenta convencer Jon a revoltar-se contra Daenerys, que acabou por destruir a cidade e matar milhares de inocentes. Chega aqui também a confirmação de que Cersei e Jaime morreram soterrados nas catacumbas do castelo.

Daenerys promete mais guerra

Depois de tomar Porto Real e conquistar os Sete Reinos, a Mãe dos Dragões decide que não é hora de abrandar. Agradece a lealdade dos Dothraki e dos Imaculados e anuncia mais guerras em todos os cantos de Westeros e os outros continentes. Numa ideia de libertar todas as mulheres, homens e crianças e "partir a roda", ou seja, o ciclo vicioso de subjugação dos Homens.

Perante este discurso, Tyrion decide enfrentar a sua rainha. Ela diz-lhe "Libertaste o teu irmão. Cometeste traição". "E tu chacinaste uma cidade", responde-lhe Tyrion enquanto atira o símbolo da Mão da Rainha para o chão. Acabando prisioneiro.
Jon Snow decide visitar o prisioneiro que o convence que Daenerys não vai parar a guerra. "A natureza da nossa rainha é sangue e fogo", avisa o antigo conselheiro. Já antes, Arya, a irmã de Jon Snow, lhe tinha dito que reconhecia um assassino quando via um, referindo-se à sua rainha.

Jon Snow continua a não querer reclamar o trono - apesar de ser o filho do irmão mais velho de Daenerys e por isso herdeiro mais direto - mas é alertado que passou a ser visto como a principal ameaça de Daenerys.

Depois desta conversa com Tyrion, cuja conclusão é de que "o dever mata o amor", Jon vai ao encontro da sua rainha. Daenerys está na sala do trono de ferro, que sobreviveu miraculosamente ao ataque à cidade, dado que toda a sala está completamente destruída. Quando ela vai finalmente sentar-se chega Jon.

A conversa entre os dois anda à volta de continuar a guerra ou não, com Jon num derradeiro esforço de convencer Daenerys que essa não é solução. Mas a Quebradora de Correntes não está convencida que deva acabar com a guerra. Ela pede-lhe para governarem juntos nas guerras que hão de vir e ele pede-lhe um mundo de misericórdia. Perante a promessa de que ela será sempre a sua rainha, Jon Snow protagoniza um dos momentos mais surpreendentes do episódio: espeta-lhe uma espada no coração, matando-a.

A morte de Daenerys é chorada pelo seu dragão, Drogon, que derrete o trono de ferro, mas não se revolta contra Jon, dado que ele é também um Targaryen.

O anúncio do novo rei

Dá a sensação de que passam alguns meses e Tyrion é levado, pelo sempre fiel a Daenerys, Verme Cinzento perante um conselho, onde constam os três irmãos Stark (Bran, Sansa e Arya), Gendry, Yara Greyjoy, Samwell Tarly, Sir Davos Seaworth e Brienne de Tarth, entre outros. Aqui decide-se o seu destino e o de Jon Snow, também prisioneiro, desde a morte de Daenerys.

Os Imaculados não querem libertar nenhum dos dois, mas são confrontados com a necessidade de haver um rei que decida. E é aí que se decide quem será o novo rei. Tyrion defende que o rei deva ser alguém com uma história de vida que una as pessoas ao seu redor. E aí ninguém melhor que Bran, a criança que sobreviveu à queda da janela de uma torre e que apreendeu a voar depois de ter ficado preso a uma cadeira de rodas. O facto de ele não ter descendência, nem poder ter, é para Tyrion uma vantagem, já que os filhos dos reis tendem a "ser egoístas" e a fazer "coisas estúpidas".

O conselho aceita a ideia e Bran é nomeado Bran, o Quebrado. Tyrion acaba como sua Mão, ainda que contra a vontade dos Imaculados, que o querem ver cumprir uma pena. Também Jon Snow é condenado a voltar à Patrulha da Noite para evitar um conflito com este exército. Exilado no Norte é com ele a caminhar para lá da Muralha com os Homens Livres que acaba a série. Um desfecho que não agradou a todos.

Antes disso, os fãs da série veem ainda Sansa ser nomeada rainha do Norte - que se manteve independente. E Arya partir para descobrir o que existe a Oeste de Westeros. No conselho do rei sentam-se, Tyrion, Brienne, Sir Davos, Samwell e Bronn o novo senhor de Jardim de Cima e da moeda do reino.

Exclusivos