Mais dois imóveis? Ricardo Robles desmente um deles

O vereador da Câmara de Lisboa tem um apartamento no mercado de arrendamento e desmente que seja proprietário de um terceiro imóvel. O prédio da polémica em Alfama esteve à venda para alojamento local.

Além da propriedade que levantou a polémica, situada na Rua Terreiro do Trigo, perto do Museu do Fado, Ricardo Robles tem também um apartamento na Rua do Conde de Redondo, onde habitava - segundo o Observador. Este apartamento estará vago, no mercado de arrendamento, à espera de quem ofereça 1300 euros mensais.

Segundo a informação disponibilizada ao Tribunal Constitucional, o apartamento tem cinco divisões e em 2014 tinha um valor patrimonial de 65.700 euros.

"Era o meu local de residência até dia 1 de maio, já tendo comunicado esta alteração ao Tribunal Constitucional. Neste momento, está vazia", disse o vereador com o pelouro da Educação e dos Direitos Sociais ao Observador. O vereador bloquista prestou essa informação junto do Tribunal Constitucional (TC).

Casa no Saldanha? "Mais uma mentira"

O semanário Sol tem em manchete "Robles tem mais apartamentos em Lisboa", dizendo que o vereador adquiriu um apartamento na Avenida Praia da Vitória, para onde se mudou.

A nova casa de Ricardo Robles situar-se-á na zona do Saldanha e tem a mesma área do outro apartamento. De acordo ainda com o semanário, Robles não declarou qualquer empréstimo para a aquisição deste imóvel.

O vereador do Bloco de Esquerda, contudo, desmente a notícia no Facebook. "É apenas mais uma mentira. Tudo o que tenho declarei ao Tribunal Constitucional, não comprei nenhum apartamento no Saldanha."

Prédio à venda para investimento

Quanto ao prédio da controvérsia, propriedade de Robles e da sua irmã, o imóvel esteve na brochura de Fevereiro da imobiliária Christies- Porta da Frente, especialista no mercado do luxo.

Este anúncio falava de um "prédio totalmente remodelado com 728 m2 de área bruta privativa". E referia muito claramente que o prédio era bom "para investimento em área prime de Alfama". Além disso, referia que os apartamentos estavam "prontos" para serem "utilizados em Short Term Rental". "Todos possuem cozinha equipada, vidros duplos, ar condicionado e piso em madeira tábua corrida".

O prédio tem 11 apartamentos e três lojas, 728 metros quadrados, e está "localizado em frente ao Terminal de Cruzeiros de Lisboa, ao lado do Museu do Fado e do charmoso Largo do Chafariz de Dentro". Segundo o Jornal Económico as obras de reabilitação do imóvel custaram 650 mil euros.

O vereador do Bloco de Esquerda, que ao longo dos últimos anos tem estado na primeira linha da denúncia contra a especulação imobiliária, reagiu às notícias em conferência de imprensa: "Não há nada de reprovável na minha conduta."

Ricardo Robles quis vender o imóvel em Alfama, em Abril. Não o fez, mas não evitou as críticas de ajudar à especulação imobiliária em Lisboa, exatamente um dos temas que mais critica.

O que Ricardo Robles defende para o alojamento local

O vereador do Bloco de Esquerda para as áreas da Educação e dos Direitos Socais, e que tem sido um dos mais ativos críticos do regime de arrendamento urbano, defende uma intervenção articulada das autarquias e do Estado para regular o mercado. Em Lisboa podem ser proibidos novos alojamentos locais em certas freguesias.

Exclusivos