Aga Khan chegou a Lisboa. "É como Moisés para os judeus, como Cristo para os cristãos"

O avião de Aga Khan cruzou os céus de Lisboa às 15.53. Meia hora depois, ele saudava os membros da comunidades ismaili no topo do Parque Eduardo VII. Houve abraços e lágrimas. O príncipe, comemora em Lisboa os 60 anos à frente dos ismaelitas

Quando o carro verde escuro entrou na Alameda Cardeal Cerejeira, a multidão que se juntou ao longo do passeio cantou e agitou as pequenas bandeiras de Portugal e da comunidade ismaili. Dentro do reluzente automóvel, de vidro meio aberto, uma mão saudava-os. A mão de Aga Khan, líder espiritual dos ismailis, que está em Lisboa desde a tarde desta sexta-feira, dia 6, para encerrar as celebrações dos seus 60 anos à frente da comunidade. Eram 16.00 quando aterrou no aeroporto de Figo Maduro.

Houve lágrimas e abraços. E muitas fotografias de família com o Tejo em fundo, quando a emoção passou.

"É o nosso pai espiritual", diz uma jovem mãe norte-americano que veio com a família a Lisboa para ver o Imam. "Somos 18". Três gerações de ismaelitas.

"É como Moisés para os judeus, como Cristo para os cristãos", diz o português Mahmad Mamad ao DN. "Afinal, é o descendente de Maomé". A pulseira verde no pulso, diz que vai passar os próximos dias na Feira Internacional de Lisboa, Altice Arena e Pavilhão de Portugal, os locais onde se concentram as exposições, concertos e mostras de talento ismaili e cerimónias religiosas. São esperadas 45 mil pessoas, de 35 territórios.

Para alguns, como Sultana Dharsse, a espera durou quatro horas. Minutos antes das 16.00, a certeza de que valeria a pena esperar mais um pouco, de pé e ao sol. O avião de "Sua Alteza", como lhe chamam os ismailis, cruzou, baixinho, o céu de Lisboa e reconheceram o símbolo ismaili na cauda. Menos de meia ora depois, Aga Khan acenava aos seguidores.

Uma semana em Portugal

Este é o primeiro dia de um longo programa de festejos que inclui uma celebração com a comunidade portuguesa este sábado, no Centro de Congressos de Lisboa, uma reunião com Marcelo Rebelo de Sousa, um almoço com o primeiro-ministro, um discurso da Assembleia da República, encontros com investigadores no Centro Ismaili, uma visita à futura sede do Imamat Ismaili, que se encontra em obras e, o mais importante dos encontros, uma celebração na Feira Internacional de Lisboa para todos os membros da comunidade.

Ler mais

Exclusivos