Os absurdos dilemas de três amigos a jogarem a "o que é que preferes?"

Os humoristas Nuno Markl, Filipe Melo e Bruno Nogueira apresentam "Uma Nêspera no Coliseu".

"O que é que preferiam? Ficar sem uma perna ou saber o dia da vossa própria morte?" Ou então: "O que é que preferiam? Ir uma noite ao camarim do Fernando Pereira e esgalhar-lhe uma ou para o resto da vossa vida, fosse em que sítio fosse, tomar sempre banho com água fria?" Ou ainda: "O que é preferiam? Mudar o vosso nome para sempre para Clamídio Herpes Gonorreia ou durante cinco anos, todos os dias, e durante três horas, ficar sem o vosso pénis e ter em vez disso uma vagina?"São estes os complicados dilemas que Bruno Nogueira, Nuno Markl e Filipe Melo têm vindo a resolver no programa Uma Nêspera no Cu. E, agora, preparam-se para fazê-lo em cinco sessões ao vivo com Uma Nêspera no Coliseu.

Para perceber de onde é que a Nêspera vem é preciso recuar até 2013, quando o humorista Bruno Nogueira e o músico Filipe Melo se encontraram no projeto Deixem o Pimpa em Paz, no qual, ao lado de Manuela Azevedo, reinterpretavam clássicos da música pimba. Nuno Markl também teve uma participação em alguns desses espetáculos, nos quais, faz questão de sublinhar, fazia um número de striptease. "Fiz algumas viagens com eles na carrinha e fiquei completamente fã de um jogo que eles faziam que consistia em pôr dilemas uns aos outros", recorda Markl. "É o preferes, só que normalmente as pessoas jogam com dilemas muito fraquinhos e possíveis e alguns dos dilemas que foram colocados naquela carrinha incluíam os nossos pénis ficarem com cabeças de artistas na ponta e coisas deste estilo. Então eu tive esta ideia: isto era maravilhoso para um podcast. Eles acharam que seria demais. O Filipe até disse: 'o país não está preparado para isto'. Mas depois lá se convenceram."

Um podcast é um ficheiro que está disponível apenas na internet. O programa, chamemos-lhe assim, não foi ouvido na rádio nem passou na televisão. E a grande vantagem disso é o facto de se ter liberdade total - podem falar de qualquer assunto e usar qualquer termo. Não há pressões nem censura. "Um dos segredos da Nêspera é que aquilo soa de facto ao que é a nossa vida quando estamos os três juntos, ao tipo de conversas que nós temos", diz Markl. Conseguem imaginar? Pois. É assim mesmo. E porquê aquele nome? "Porque não?", replica Filipe Melo. Talvez apenas porque é giro imaginar os fãs do podcast (e já são muitos) a dizer a toda gente que gostam de uma nêspera no cu.

O primeiro programa foi para o ar em janeiro do ano passado e desde então houve duas séries de oito episódios com cerca de 20 minutos cada, todos acompanhados pelas ilustrações animadas de João Pombeiro. Foram convidadas figuras públicas tão diferentes quanto os jornalistas Rodrigo Guedes de Carvalho e Carlos Vaz Marques, a cantora Ana Bacalhau, os músicos Carlão e Mário Laginha, os apresentadores Rui Unas e Daniel Oliveira ou os músicos Manuel João Vieira e António Zambujo. "O primeiro foi o Ricardo Araújo Pereira. A nossa tentação foi convidar pessoas da comédia e jogar pelo seguro com pessoas que nós sabíamos que fazem rir. Mas depois percebemos que quanto mais nos desviássemos do universo da comédia mais incrível era", conta Markl.

E o mais incrível ainda é ouvir como as pessoas alinharam nesta loucura, porque os dilemas estão longe de ser fáceis e incluem quase sempre cenas bastante escabrosas ou sexuais. "Uma coisa que nos iliba logo daquela coisa muito aborrecida do politicamente correto é que estamos sempre a trabalhar no campo do imaginário", explica Bruno Nogueira. "O que é que preferias não é o que é que eu fiz ou o que é que eu gostava que tu fizesses. É: perante esta situação limite, que não existe nem tem possibilidade de acontecer, o que é que tu preferias? E esta premissa remete logo para um sítio em que tudo é possível e em que não tens que te justificar, uma espécie de buraco negro em que tu te enfias e podes dizer tudo o que quiseres." Tão importante quanto a qualidade dos dilemas colocados é a qualidade da discussão gerada - "Aquilo só funciona se o dilema for discutido como uma situação real que me é apresentada. Esse é o segredo para levar as pessoas para dentro daquele universo."

O trio já apresentou Uma Nêspera no Cu ao vivo por duas vezes, mas para pequenas audiências. Os coliseus (quase esgotados) que se aproximam são, dizem, a despedida merecida da Nêspera. "A partir daqui íamos abandalhar o conceito, já não faz sentido continuar", assegura Markl. E se é para ser uma despedida, que seja em grande. Cada um deles está a preparar 15 dilemas para apresentar nestas cinco noites. João Pombeiro assina as ilustrações, haverá música ao vivo e muitos convidados, alguns repetidos e outros novos e "incrivelmente bombásticos" que terão de decidir "o que é preferiam?"

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG