Pádua concede honoris causa a Manuel Alegre

O poeta foi homenageado na Universidade italiana por uma obra dedicada à resistência e luta pela liberdade

O poeta Manuel Alegre recebeu esta manhã o doutoramento Honoris Causa pela Universidade de Pádua, em Itália. Num discurso emocionado agradeceu aos leitores da sua obra e homenageou os grandes autores de língua portuguesa em todos os continentes em que é falada. Antes, o reitor que lhe outorgou o doutoramento em Línguas e Literatura e Europeias e Americanas, destacou a defesa do ideal de liberdade, o principal objetivo desta instituição nascida no século XIII.


Antes de Manuel Alegre só o português Damião de Góis tinha sido homenageado deste modo pela Universidade de Pádua.


No seu discurso Alegre referiu que a sua idade vai "avançada " e que tem a "sensação de ter sido várias pessoas na mesma pessoa" mas a existência de uma cátedra com o seu nome nesta cidade é uma das homenagens mais importantes que a sua obra recebeu.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".