Resort nas Bahamas garante estadia gratuita a quem apanhar covid-19. Ou voltar para casa de jato privado

Viajar ainda é uma miragem em muitos casos, mas há hotéis a resolver a situação a seu favor. Nas Bahamas, um resort oferece a quarentena nas suas suites ou a viagem de regresso a casa de avião. Tudo para atrair clientes.

Se os sinais de um regresso à normalidade são encorajadores, ainda sem imunidade de grupo, fazer férias fora do país durante a pandemia de covid-19 continua a ser pouco menos do que um sonho. E quem o faz tem um longo rol de orientações para cumprir, variando de acordo com o país para onde se viaje. Teste PCR ou rápido? Quarentena de 5, 10 ou 14 dias?

Os Emirados Árabes Unidos ganham fama como destino que garante uma vacina (como aconteceu com Elena e Cristina numa visita recente ao rei emérito Juan Carlos) mas há outros que, sabendo que os viajantes têm de mostrar um teste negativo no regresso a casa já o incluem no pacote de férias. No meio está o inovador casa do resort Baha Mar, nas Bahamas que responde a outro problema - e se testar positivo durante as férias? Para esses casos, o complexo hoteleiro encontrou uma maneira luxuosa de resolver o caso - suíte para passar o confinamento e viagem de regresso a casa de jato, caso seja essa a vontade do cliente.

O resort que criou este programa, batizado de Travel with Confidence (Viajar com confiança), situa-se em Nassau, capital das Bahamas, e é constituído por três hotéis - Rosewood, SLS e Grand Hyatt - com todas as mordomias que um cinco estrelas não pode dispensar: piscinas e hotéis, spa e casino, atividades aquáticas e golfe.

O complexo de hotéis reabriu ao público este mês de março e pôs a tónica na segurança sanitária. Os protocolos para quem se queira alojar por aqui incluem o já corriqueiro teste antigénio (os rápidos) à chegada, que se soma um teste PCR exigido pelo governo das Bahamas para entrar neste território das Caraíbas, e já faz parte do pacote de férias.

Até aqui nada de novo. A oferta de teste rápido é comum a muitos dos hotéis da ilha (e do mundo), mas no Baha Mar levam a ideia de viagem em segurança mais longe. Caso o teste rápido dê positivo, é fornecido um teste PCR ao hóspede e quem teste positivo tem a garantia antecipada de que pode fazer a quarentena numa suíte de luxo por 14 dias ou até receber um teste PCR negativo, sem custos adicionais, mesmo que seja ultrapassado o tempo inicialmente previsto de estadia.

Uma outra garantia está prevista para a partida. Dois dias antes da data de saída, os turistas que regressem a países que exigem testes negativos para entrar no território podem realizar um teste rápido (incluído no pacote de férias) ou PCR (com um custa de 112 euros por pessoa) no próprio resort. Em caso de teste positivo, hóspede e acompanhante (desde que estejam no mesmo quarto) podem ter uma estadia adicional de 14 dias (ou o tempo que durar a quarentena) no mesmo hotel e em alojamento semelhante ao das férias.

Nos dois casos, isto é, com teste positivo à chegada ou à partida, os hóspedes têm de permanecer confinados à suíte, não podendo desfrutar das áreas públicas do Baha Mar. Cada pessoa, a partir dos cinco anos, dispõe de um crédito de 150 dólares por dia para refeições das mas de 20 opções do complexo hoteleiro.

Os preços variam entre os 258 euros e os 1008 dólares ( 219 a 858 euros) por noite no Grand Hyatt, os 248 e os 1775 dólares (211 a 1494 euros) no SLS e os 1001 e 2505 dólares (852 a 2133 euros) no Rosewood.

Quem quiser regressar de imediato a casa também pode

Há outra possibilidade: regressar a casa de avião. Com uma autorização de transporte médico, o Baha Mar organiza o regresso dos hóspedes num jato privado - para a pessoa que testou positivo à covid-19 e até três familiares imediatos. Também este serviço é prestado sem custos adicionais para o tuista. Sõ há uma condição: o resort Baha Mar tem de ter sido o primeiro destino dos turistas quando chegaram às Bahamas. E esta opção só tem um destino: South Florida, nos EUA. Em todos os casos, garante o hotel, se for desejo dos hóspedes regressar a casa, tudo farão para ajudar a organizar o regresso. Mas nesses casos são os clientes a custear as deslocações.

O presidente do Baha Mar explica a decisão - misto de marketing e de gestão: "Num ambiente de viagem que está sempre a mudar, o nosso objetivo é aliviar os viajantes de preocupação com a Covid-19, num esforço para assegurar saúde, segurança e conforto aos nosso hóspedes", disse Graeme Davis, num comunicado da empresa detentora do resort a propósito desta iniciativa. "O nosso programa de Travel with Confidence é o primeiro do seu género na indústria, dando aos viajantes a paz de espírito adicional e a opção para regressarem em segurança a casa ou passarem a quarentena sem despesas adicionais - fica ao seu critério".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG