Peixe e marisco quase com os pés na areia

Há um novo restaurante na praia da Falésia, bem perto de Vilamoura: o Sora Beach Club. Peixe e marisco da costa algarvia com alguns toques sofisticados.

Não guardamos o melhor para o fim, por isso já nas primeiras linhas falamos do melhor que tem o novo restaurante Sora Beach Club: a cataplana de peixe e marisco! Os detalhes estão linhas mais abaixo. Por ora, faça-se a apresentação deste novo espaço, recém-aberto na extensa praia da Falésia, entre Olhos d"Água e Vilamoura, no Algarve. Para os eventuais interessados não se perderem no areal, o melhor é colocar no GPS/Waze/Google Maps a morada da praia da Rocha Baixinha. A estrada de terra batida - que passa pela famosa praia dos Tomates - termina perto do Sora (para quem vem do Barlavento) o caminho leva-nos ao local onde até há uns anos existia um restaurante tradicional. Entretanto mudou de mãos e é agora responsabilidade do hotel Domes Lake Algarve (que fica muito perto do restaurante). Mudou o conceito, mudou a oferta e mudaram os preços, claro. A cozinha está a cargo do chef Vítor Moreira que também chama a si o que se faz na cozinha do hotel. O chef passou por vários restaurantes em França, inclusive em eventos como o torneio de ténis de Roland Garros e esteve ainda na escola de formação do prestigiado Alain Ducasse.

Regressando ao Sora, como não podia deixar de ser num restaurante de praia espera-se bom peixe e bom marisco. Nem sempre foi assim, nem sempre os restaurantes de praia, sobretudo no Algarve, fizeram jus à fama dos produtos regionais - quer do mar quer da terra - mas talvez os apertos trazidos pela pandemia tenha aprimorado a oferta de boa gastronomia perto dos areais.

No dia da visita do DN, num sábado de agosto, o restaurante estava cheio de clientes estrangeiros. Sinal de que no pouco tempo de abertura já há quem (re) conheça a oferta e o conceito do Sora. A ideia, dizem os responsáveis do restaurante, é trazer para o prato "o melhor daquilo que a agricultura e a costa algarvia oferecem". E isso quer dizer variedade de pratos típicos portugueses à base de marisco, carnes saudáveis e opções de vegetais orgânicos - que vão da massada de peixe (40 euros), arroz malandrinho de marisco (55 euros), entre outros pratos como a cataplana (45 euros), claro. A ideia, explica o chef , é "combinar sabores locais com a gastronomia costeira mas com um toque contemporâneo e fazer disso um cartão de visita deste restaurante à beira mar plantado".

O Sora tem ainda um bar de cocktails, que podem acompanhar a comida ou ser apenas momentos de fruição a olhar para o mar - "cocktails de assinatura, mocktails (cocktails sem álcool), sumos naturais ou os batidos de fruta, além da carta de vinhos e bebidas espirituosas, são as nossas sugestões para estes dias quentes de verão", acrescenta o chef. O atendimento está ao nível de hotelaria com nível - e que deve provir com o restaurante do hotel Domes Lake.

A "tal" cataplana

E agora a cataplana. Antes ainda, uma novidade da casa, especialmente para vegetarianos: é possível pedir uma cataplana vegetariana. É uma das opções que o chef e a sua equipa encontrou para o crescente número de clientes que cada vez mais optam por deixar de lado a proteína animal e seus derivados. Mas a tradicional, e a que provámos, essa tem o peixe - que depende do que foi pescado no dia - e tem camarão, e tem a amêijoa, e tem chouriço, e tomate e coentros, e tem tudo o que deve ter uma boa cataplana. Dá para duas pessoas e tanto pode, ou deve, ser acompanhada por cerveja ou um vinho branco ou rosé (seria, talvez, uma heresia beber um cocktail com este prato, mas aí já entramos na área da opinião que não se quer para estas linhas). Foi o prato que mais se destacou na visita do DN, sobretudo pela qualidade e frescura dos alimentos. De sublinhar ainda que há entradas que merecem ser provadas, como o gaspacho (8 euros) servido bem gelado ou a salada de polvo à algarvia (13 euros). E ainda as sobremesas, para quem ainda tiver espaço no estômago, depois da cataplana. O destaque, para além dos "normais" gelados e fondant de chocolate (10 euros), vai todo para o Dom Rodrigo no Frasco (9 euros). Afinal, estamos no Algarve e o sabor do mar e dos doces característicos está por todo o lado.

filipe.gil@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG