Exclusivo Descobrir a arte escondida nos pavimentos de Lisboa

A Escola de Calceteiros está a organizar um peddy paper que leva as famílias a palmilhar o centro histórico em busca de histórias e curiosidades. Porém, este é um ofício em vias de extinção, avisa associação.

Todos os dias, milhares de pessoas pisam verdadeiras telas artísticas que pintam um retrato das glórias de outros tempos no chão de Lisboa. A calçada portuguesa, com quase dois séculos de vida, embeleza a cidade e faz dela cenário predileto para milhares de turistas todos os anos. "É muito bonita a nossa calçada. Mesmo sendo quase toda branca tem os desenhos, reflete muito a luz e dá vida", diz ao DN o calceteiro Vítor Graça. Aos 53 anos, continua a dobrar-se diariamente para fazer arranjos ou para desenhar novos motivos com pedra calcária. "Desde que quiseram passar a calçada a património [da UNESCO] e que os turistas começaram a vir, valorizou-se mais esta arte", atira. Preservar e divulgar este ofício é precisamente o objetivo central do peddy paper que a Escola de Calceteiros vai organizar no próximo dia 20 de junho. "A ideia é que as pessoas se divirtam aprendendo", assegura Ana Baptista.

A iniciativa já acontecia em anos anteriores, mas a pandemia obrigou a repensar o modelo da atividade, que desta vez é exclusivamente para famílias. "Quando a família chega ao Rossio, fazemos o acolhimento e entregamos uma pasta com um mapa, uma folha com perguntas, uma folha para desenho e ainda informação técnica e histórica para poderem consultar ao longo de todo o trajeto", explica a técnica superior de comunicação. Explicadas as regras do jogo, é tempo de arrepiar caminho por um dos cinco percursos disponíveis na Baixa Pombalina e manter os olhos bem abertos, porque há desafios a superar antes de chegar à meta. "Vão fazendo as provas de observação e identificação dos motivos da calçada ou de elementos que passam despercebidos às pessoas no seu dia a dia", descreve. No final, cada grupo recebe uma lista com as respostas certas e poderá esclarecer dúvidas com os orientadores da prova, Ana Baptista e Nuno Serra, formador na Escola de Calceteiros. As inscrições são gratuitas, através do e-mail escoladecalceteiros@cm-lisboa.pt, e encerram hoje.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG