Terra tem uma segunda Lua em órbita e é do tamanho de um automóvel

O novo satélite estará na órbita terrestre durante algum tempo, de forma temporária. Trata-se de um pequeno asteroide e é a segunda mini-Lua a ser descoberta.

A Terra tem uma segunda "mini-Lua", um asteroide que é do tamanho de um automóvel e estará na órbita terrestre há três anos, revelam os astrónomos que descobriram este objeto. Não deve ficar por muito mais tempo: em abril apontam os cientistas, deve sair da órbita.

Com aproximadamente 1,9 a 3,5 metros de diâmetro, o objeto foi observado na noite de 15 de fevereiro pelos investigadores Kacper Wierzchos e Teddy Pruyne, do projeto Catalina Sky Survey (CSS), financiado pela NASA (a agência espacial americana), no estado do Arizona.

"Grande Notícia. A Terra tem um novo objeto capturado temporariamente/Possível mini-Lua chamada 2020 CD3", que pode ser um asteroide tipo C [com uma importante composição de carvão, muito escuro], tuitou Wierzchos na quarta-feira.

O cientista disse que a informação é "importante", porque "é apenas o segundo asteroide conhecido a orbitar a Terra, depois do 2006 RH120, também descoberto pelo CSS. A sua rota indica que entrou na órbita terrestre há três anos, acrescentou.

O centro de planetas menores do Observatório Astrofísico Smithsonian, que acumula informação sobre os objetos menores do sistema solar, disse que "nenhum vínculo com um objeto artificial foi encontrado". Por outras palavras: trata-se, sem qualquer dúvida, de um asteroide capturado pela gravidade terrestre.

A dinâmica orbital "indica que este objeto está temporariamente ligado à Terra".

Este novo vizinho terrestre não está numa órbita estável e é pouco provável que permaneça nessa posição por muito tempo.

"Está a afastar-se do sistema Terra-Lua, enquanto conversamos", e deve sair em abril, disse o investigador Grigori Fedorets, da Queen's University, de Belfast, à revista "New Scientist".

O único asteroide até agora conhecido a gravitar em torno da Terra, o 2006 RH120, esteve em órbita de setembro de 2006 a junho de 2007.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG