Prepare-se para um verão histórico com vários dias seguidos acima dos 43 graus

A partir de junho Portugal pode bater recordes de temperatura. Previsões do site AccuWeather apontam para a possibilidade de existirem grandes incêndios na segunda metade do verão.

Portugal, Espanha, Polónia e Hungria vão ser o centro das "grandes histórias" deste verão, garante o site AccuWeather que anuncia ondas de calor para a Península Ibérica, onde as temperaturas podem atingir os 43 graus Celsius durante vários dias consecutivos.

De acordo com esta plataforma em junho serão poucos os dias com chuva em Portugal e as temperaturas poderão ser mais elevadas do que as registadas no verão passado quando algumas partes do nosso país, da Holanda, Alemanha e Escandinávia bateram recordes de calor mas só durante um dia ou uma semana.

Estas previsões são explicadas pelo meteorologista Tyler Roys que frisa serem esperadas temperaturas de 40 graus no sul e leste de França em julho e no início de agosto.

No caso português, o mesmo especialista diz ser de esperar ondas de calor de 43 graus, com as noites a serem quentes o que pode provocar problemas a quem habite numa casa em que não consiga arrefecer a habitação durante a noite antes que volte a aquecer durante o dia.

Por isso aconselha as pessoas a beber muita água, a usar roupa leve e a evitar atividades no exterior.

Entre os alertas do site estão as chamadas de atenção para os cuidados necessários na prevenção dos incêndios, um dos grandes problemas no norte de Portugal e de Espanha, tal como nos Alpes na Alemanha e na República Checa. E justifica esta possibilidade com o facto de um inverno e primavera chuvosos ter feito com que exista mais vegetação do que nos anos anteriores.

"O problema é que as ondas de calor e o clima seco dos próximos meses vão secar a vegetação e na segunda metade do verão vai aumentar bastante a possibilidade de surgirem grandes incêndios", pode ler-se na publicação.

O AccuWeather prevê que esta possibilidade de fogos se mantenha até ao outuno devido ao clima seca e quente se poderá prolongar-se.

O DN contactou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera para obter um comentário a estas previsões, mas não foi possível obter esse esclarecimento em tempo útil.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG