Porque é que o vídeo de fim de ano do Youtube se tornou o mais odiado?

Plataforma de partilha de vídeos passou o ano de 2018 em revista mas deixou os utilizadores zangados. A culpa parece ter sido daquilo que o vídeo não mostrou

Aquele que era suposto ser um vídeo de celebração dos melhores momentos do Youtube em 2018 rapidamente se tornou no vídeo mais odiado da história daquela plataforma, ultrapassando nesta altura os 13 milhões de "dislikes"(o símbolo de "não gosto", com o polegar para baixo) e batendo já largamente o anterior recorde, que pertencia ao videoclipe da música "Baby", de Justin Bieber.

O vídeo "YouTube Rewind 2018: Everyone Controls Rewind", produzido pela equipa da plataforma para passar em revista o melhor conteúdo produzido na plataforma ao longo do ano, inclui alguns dos principais criadores de conteúdo do Youtube, como Ninja, The Try Guys ou Bongo Cat, e outras estrelas mais "convencionais" do showbizz, como o ator Will Smith e os apresentadores/comediantes Trevor Noah e John Oliver, entre outros.

O problema, no entanto, parece estar naquilo que o vídeo não mostra. Assim que o Youtube Rewind 2018 foi publicado, as reações de diversos criadores e utilizadores da plataforma sucederam-se na crítica à omissão por parte do Youtube de vários momentos e personagens marcantes daquela comunidade.

Criadores vs. anunciantes

Entre as ausências mais notadas está, por exemplo, a luta de boxe realizada em agosto entre KSI e Logan Paul, duas estrelas do YouTube que lutaram num espetáculo altamente divulgado e assistido por milhões. Assim como a omissão de Youtubers proeminentes como Felix Kjellberg, conhecido por "PewDiePie," Shane Dawson ou Erika Costell.

Os críticos do vídeo de fim de ano do Youtube apontam que este pareceu, sobretudo, ter sido feito para agradar aos anunciantes, retirando referências a conteúdos e criadores polémicos, num ano em que a plataforma sofreu com a retração de algumas marcas depois da polémica da associação de anúncios a conteúdos de natureza extremista.

Logan Paul, um dos criadores de conteúdo ausentes do Rewind 2018, tem mais de 18 milhões de seguidores mas ficou este ano marcado ppor uma grande polémica, tendo filmado um cadáver pendurado numa árvore no Japão. Outro influente youtuber, Felix Kjellberg, com mais de 77 milhões de seguidores, tem sido muito criticado por fazer vídeos que incluem piadas nazis e elogios a canais anti-semitas do YouTube.

A reação do Youtube

Uma porta-voz do YouTube, Andrea Faville, reagiu em comunicado para reconhecer que "destronar 'Baby' não era exatamente o nosso objetivo este ano". E acrescentou: "Um feedback honesto pode ser doloroso, mas estamos atentos e agradecemos o quanto as pessoas se importam". Faville lembrou que "tentar capturar a magia do YouTube num único vídeo é como tentar capturar um relâmpago numa garrafa", mas salientou uma lição, deixando elogios à comunidade da plataforma: "Também aprendemos que a criação de conteúdo pode ser realmente difícil e isso reforça o nosso respeito e admiração pelos criadores do YouTube que fazem isso todos os dias."

Entretanto, muitos dos criadores ausentes do vídeo de fim de ano publicaram reações nas redes sociais. Como esta, de Felix Kjellberg, no próprio Youtube.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG