Poluição pode ter agravado o número de mortes por covid-19 em Itália

Cientistas italianos defendem que é preciso incluir a poluição atmosférica na equação para se perceber o elevado número de óbitos no norte no país

A poluição pode ter sido um importante fator de agravamento dos casos de covid-19 nas regiões do norte de Itália, que registaram uma das maiores taxas de letalidade do mundo devido à pandemia, alerta um grupo de investigadores das Universidades de Siena, em Itália, e de Arrhus, na Dinamarca.

A equipa, que foi coordenada por Dario Caro, da universidade dinamarquesa, analisou os dados da epidemia no país e relacionou-os com os habituais altos níveis de poluição registados no coração industrial, de Itália, que se situa justamente nas regiões da Lombardia e de Emilia-Romana. Foi nestas que se concentrou a esmagadora maioria dos casos confirmados da doença, e também, dos óbitos no país.

De acordo com os cientistas, que publicaram o seu alerta esta semana na revista científica Environmental Pollution, os altos níveis de poluição naquelas regiões "deverão ser considerados como um co-factor adicional da alta taxa de letalidade que se registou no Norte de Itália", que afirmam ser "uma das maiores do mundo" no contexto desta pandemia.

No artigo, os cientistas passam em revista os dados sobre a relação hoje bem estabelecida entre a poluição atmosférica e o aumento de doenças respiratórias na população.

Poluição mata em todo o mundo

A poluição atmosférica, indicam os estudos, é responsável por um cerca de 5,5 milhões de mortes anualmente em todo o mundo, sendo o quarto fator de morte prematura a nível mundial.

Somados a esse fator já de si pesado, os efeitos da covid-19, terão tido assim uma expressão mais agravada nas regiões de maior poluição, como é o caso do norte de Itália, defendem a equipa liderada por Dario Caro.

Olhando para os números das mortes por covid-19 no país, os cientistas verificaram, por exemplo, que no dia 21 de março, a taxa de letalidade da doença nas regiões da Lombardia e de Emilia-Romana foi de 12%, enquanto se ficou apenas pelos 4,5% nas outras regiões do país.

Olhando para o mapa da poluição atmosférica, os cientistas verificaram que, não apenas nesse dia, mas habitualmente, a região do Norte de Itália é uma das que apresenta maior poluição atmosférica na Europa, o que se deve também "às suas condições geográficas, que provocam a estagnação dos poluentes" sobre aquela localização, escrevem os autores.

Os cientistas defendem, por isso, que o fator poluição tem ser incluído na equação para se poder perceber o elevado número de óbitos por covid-19 registado no seu país.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG