Pais dizem que professor desconhecia perguntas sobre orientação sexual

"Ficha sociodemográfica" distribuída a turma do quinto ano de escola do Porto perguntava a crianças se preferiam homens, mulheres ou ambos. Terá sido uma colaboração de professor com uma associação local.

O professor que entregou um inquérito com questões sobre orientação sexual aos alunos de uma turma do quinto ano da Escola Básica Francisco Torrinha, do Porto, "tomou conhecimento do mesmo no momento", e que o documento "foi realizado por uma associação externa à escola". A informação foi dada ao DN, numa resposta enviada através do Facebook, pela associação de pais da escola, que não identificou o nome da associação em causa.

Ao que o DN apurou, o inquérito em causa foi feito apenas a uma turma, não tendo sido aprovado pelos serviços do Ministério da Educação, que continua a recolher elementos sobre o ocorrido junto da direção da escola.

Na "ficha sociodemográfica" entregue aos alunos, com idades entre os 9 e os 10 anos, era perguntado: "Sente-se atraído por homens, mulheres ou ambos?". Nos alunos eram ainda questionados sobre se namoravam ou já tinham namorado e qual era a sua identidade de género: homem, mulher ou outro.

O Ministério da Educação já tinha garantido que "não conhecia o inquérito em questão" e que, apesar de estar "ainda a apurar informação junto do estabelecimento escolar em causa", sabia tratar-se de "um caso isolado".

A associação de pais da escola confirmou que"foi pedida autorização previa para os alunos assistirem a estas aulas de educação sexual", mas, ao que tudo indica, desconhecia a existência e o teor deste inquérito.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG