Os jovens e crianças também estão em risco, não são só os mais velhos, somos todos

Os mais velhos têm sido a maior preocupação, já que o novo coronavírus é mais letal acima dos 65. Mas na sexta-feira o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) lembrou os mais jovens de que não são invencíveis e apelou a que fossem responsáveis.

Já no dia 16 de março, a diretora da Organização Mundial da Saúde (OMS) para as doenças emergentes e zoonoses tinha chamado a atenção para a importância de proteger os mais novos, crianças e jovens, da infeção pelo novo coronavírus. Não só por serem um potencial veículo de transmissão mas porque, embora poucos, existem já casos reportados de morte e doença severa nas faixas etárias mais jovens.

Ontem, Tedros Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, reforçou mensagem, dirigindo-se diretamente aos jovens: "Vocês não são invencíveis. Este vírus pode prender-vos durante semanas a uma cama de hospital ou mesmo matar-vos. E, mesmo que não fiquem doentes, as vossas escolhas sobre o que fazem e onde vão podem significar a diferença entre a vida e a morte para outras pessoas", disse, congratulando-se depois com o facto de muitos jovens "estarem a passar a palavra e não o vírus".

Para o diretor-geral da OMS, a solidariedade é a chave para derrotar o covid-19. Solidariedade não só entre países como entre gerações.

Em Portugal, os últimos números apontam para que as faixas etárias mais jovens (entre os 0 e os 29 anos) representem cerca de 17,5% dos casos de infetados com covid-19. Um número que desceu 1%, de ontem para hoje. Entre os 0 e os 9 anos, há 18 casos, que sobem para 49 entre os 10 e os 19 e para 157 entre os 20 e os 29. Em todas estas faixas etárias existem mais raparigas afetadas do que rapazes.

Em Portugal, os últimos números apontam para que as faixas etárias mais jovens (entre os 0 e os 29 anos) representem cerca de 17,5% dos casos de infetados com covid-19. Um número que desceu 1%, de ontem para hoje.

Desde segunda-feira, 16 de março, que todos os estabelecimentos de ensino e creches, públicos e privados, estão encerrados, por decisão do governo português, naquela que foi uma das primeiras medidas de contenção da pandemia no nosso país.

Ainda há muito por saber sobre a doença e a transmissão desta por pessoas sem sintomas ainda está a ser estudada, mas o facto de nos mais jovens o covid-19 poder assumir formas mais leves faz deles potenciais veículos transmissores. Por exemplo, segundo notícia do Jornal de Notícias, a jovem de 17 anos que foi um dos primeiros casos em Portugal poderá ter sido contagiada por colegas que tinham estado em Milão, no Carnaval, e não exibiam sintomas da doença.

É duro que na idade em que nos pensamos imortais sejamos confrontados com a ideia de morte, da nossa e dos outros, que nos são próximos, pais, avós, tios, irmãos, primos, amigos, mas o combate ao covid-19 parece exigir medidas extremas, que abrangem todos, incluindo os mais novos. Fiquem em casa.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG