Infarmed alerta para produtos ilegais para tratar disfunção erétil

A Autoridade do Medicamento alertou hoje os consumidores que os produtos Gold Max Blue e Gold Max Pink, para melhoria do desempenho sexual, são ilegais por não estar garantida a sua segurança e eficácia.

A autoridade Nacional do Medicamento avisou, através de um comunicado divulgado na sua página da internet, que a venda dos produtos para a a melhoria do desempenho sexual Gold Max Blue (para homens) e Gold Max Pink (para mulheres) está interdita em Portugal. O Infarmed diz que os produtos foram detetados na alfândega e terão origem em vendas através da internet, não tendo sido detetados no circuito legal de venda de medicamentos.

Com efeito, uma simples busca da Internet permite encontrar estes produtos à venda em sex-shops online nacionais, com preços que vão dos seis aos 55 euros.

"Após análise no laboratório do Infarmed, verificou-se que estes produtos contêm a substância ativa sildenafil, que se destina à melhoria do desempenho sexual", explica o Infarmed, acrescentando que não está garantida a sua qualidade, segurança e eficácia e, por isso, a utilização é proibida em Portugal.

O Infarmed informa as entidades que dispõem destes produtos que não os podem vender, dispensar ou administrar, devendo comunicar de imediato com à Autoridade do Medicamento.

"Os utentes que disponham destes produtos não os devem utilizar, devendo entregar as embalagens em causa na farmácia para posterior destruição, através da Valormed", refere a nota.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".