Cada português produz 40 quilos de lixo por mês

Todos os anos são produzidas em Portugal quase cinco milhões de toneladas de resíduos, o peso de três pontes Vasco da Gama

Cada português produz em média 40 quilos de resíduos por mês e, por ano, o país tem mais quase cinco milhões de toneladas de resíduos, o peso de três pontes Vasco da Gama, segundo dados de instituições do setor.

Os números fazem parte de um vídeo da responsabilidade de três entidades ligadas aos resíduos e que agora começa a ser divulgado, chamando a atenção para o facto de apenas se reciclarem 10% dos resíduos.

No vídeo diz-se que cada português produz 473 quilos de lixo por ano e também que, se as pessoas reciclarem "tudo" e "sempre", podem contribuir, individualmente, para o reaproveitamento de cem quilos de produtos.

Recolher e tratar os resíduos custa 755 milhões de euros por ano, o equivalente a mais de 75 euros por cada cidadão, pelo que, afirma-se, quanto mais se reciclar menos pesada é a contribuição de cada um.

16% dos resíduos são transformados em corretivos orgânicos a usar na agricultura e na floresta e 23% são transformados em energia

Com o título "Reciclar é agora", o vídeo de menos de dois minutos pretende sensibilizar para a necessidade de separar e reciclar as embalagens usadas, mostrando os impactos a nível ambiental, social e económico, e afirmando que é possível, com a reciclagem, separando "todas as embalagens, sempre e em qualquer lugar", proteger o ambiente e dinamizar a economia.

Atualmente, diz-se também no vídeo, 16% dos resíduos são transformados em corretivos orgânicos a usar na agricultura e na floresta e 23% são transformados em energia. A gestão de resíduos é responsável pela criação de mais de 13 000 postos de trabalho.

O trabalho resulta de uma parceria entre a EGF, (Environmental Global Facilities, líder no tratamento e valorização de resíduos), a ESGRA (Associação para a Gestão de Resíduos, representando 14 sistemas de gestão de resíduos), e a ERSAR (Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos, que nomeadamente assegura que as entidades gestoras desses serviços o fazem com qualidade e a preços acessíveis).

Teve o apoio da Sociedade Ponto Verde, que organiza e gere a retoma e valorização de resíduos de embalagens e que tem como um dos objetivos sensibilizar e educar para as melhores práticas ambientais.

O vídeo está disponível nas páginas na internet das entidades que o criaram e vai a partir de agora ser divulgado em todo o país, nomeadamente pelas entidades que tratam e valorizam os resíduos urbanos.

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.