Arqueólogos encontram desenho mais antigo da história da humanidade

Um grupo de investigadores descobriu na Caverna Blombos, na África do Sul, traços a vermelho numa rocha. O desenho terá cerca de 73 mil anos, estimando, o que significa que é o mais antigo já encontrado

Será este um dos primeiros desenhos feitos por humanos? É pelo menos o mais antigo encontrado até agora e foi descoberto na Caverna Blombos, na Reserva Natural de Blombosfontein, na África do Sul.

A descoberta foi publicada esta quarta-feira na revista Nature, depois de um trabalho de investigação de um grupo internacional de cientistas.

O desenho abstrato consiste em três linhas vermelhas, com tom ocre, cruzadas com seis outras linhas e, segundo os cientistas, foi feito de forma intencional num pedaço de rocha há cerca de 73 mil anos.

Este desenho agora encontrado supera em largos milénios os mais antigos que já eram conhecidos, datados de há pelo menos 30 mil anos, descobertos em África, na Europa e no Sudeste da Ásia.

Foi o arqueólogo italiano Luca Pollarolo, investigador da Universidade de Witwatersrand, em Joanesburgo, que fez esta descoberta enquanto analisava, no seu laboratório universitário, milhares de pedras retiradas da Caverna Blombos, 300 quilómetros a sudeste da Cidade do Cabo, que começou a ser explorada em 1991.

Pollarolo faz parte de uma equipa dirigida pelo arqueólogo sul-africano Christopher Henshilwood, que iniciou as primeiras escavações na caverna Blombos. O local contém material datado de 100 a 70 mil anos e também mais recentes, de há dois mil anos.

O grande desafio para os cientistas foi provar que o desenho foi intencional. E se foi feito por humanos, então como e porquê?

Este grupo de cientistas considera que o desenho devia estender-se por uma superfície maior, uma vez que o padrão de riscos vermelhos é abruptamente interrompido na lasca de pedra encontrada. Começaram por comprovar que as linhas foram aplicadas na pedra. E com base em várias experiências com o objetivo de recriar o padrão, os investigadores assumem que o desenho terá sido feito com um pedaço ocre pontiagudo, cuja extremidade teria uma largura entre um a três milímetros.

"Estas observações apoiam a hipótese de estes sinais eram de natureza simbólica e representavam um aspeto do comportamento do mundo moderno destes Homo sapiens, os antepassados de todos nós", considera Henshilwood.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.