Estatueta romana estava numa embalagem de margarina

Um agricultor inglês encontrou a peça há 10 anos na sua propriedade, mas não se apercebeu do seu valor. Guardou-a numa embalagem de plástico e acabou por se esquecer dela. A peça, que é um pequeno tesouro, está agora, finalmente, no museu

Uma pequena estátua de Minerva, a deusa romana da sabedoria, feita de uma liga de cobre e chumbo, e com cerca de dois mil anos, esteve durante a última década esquecida dentro de uma caixa vazia de margarina. Até que, no ano passado, alguém se apercebeu de que se tratava, afinal, de um pequeno tesouro.

A conselho de um conhecido, o seu proprietário, um homem da aldeia de Haley, em Orxfordshire, no Reino Unido, decidiu levá-la a uma especialista, Anni Bayard, arqueóloga que trabalha em Oxfordshire com o British Museum, de Londres. E ela nem queria acreditar no que tinha nas mãos.

"Quando levantei a embalagem, pensei que teria alguma coisa em chumbo, de tão pesada que estava, mas quando desembrulhei do papel em que estava envolta, uau, foi um momento fantástico", lembra a arqueóloga, ao The Guardian.

"Percebi imediatamente que era uma peça romana e algo que normalmente não se encontra", explica Anni Byard. E sublinha: "Foi a primeira estátua deste tamanho que vi nos 10 anos que levo de atividade".

A descoberta desta pequena Minerva de metal, com olhos em prata, do século I, que deve ter estado num altar, de acordo com a arqueóloga, conta-se em poucas palavras. Foi um agricultor de Hailey que a descobriu nas suas terras, há 10 anos, quando por puro divertimento andava por ali com um detetor de metais.

Acreditando que se tratava de um artefacto moderno, decidiu guardá-la num velha embalagem vazia de margarina, arrumou-a a um canto e praticamente esqueceu-a. Até que um dia, um conhecido seu, Len Jackman, também prospetor amador de metais lhe pediu para fazer prospeção na sua propriedade.

Foi então que o agricultor se lembrou da estatueta na caixa de margarina e decidiu mostrar-lha. Len Jackman, com mais experiência, viu ali algo mais do que uma cópia e aconselhou-o a mostrar a peça à arqueóloga local. Em boa hora.

O pequeno tesouro é apenas uma das 1267 peças arqueológicas de valor cuja descoberta recente, feita por prospetores de metais amadores nas regiões em Gales, Inglaterra e Irlanda do Norte, o British Museum anunciou hoje.

Entre as peças desenterradas por estes arqueólogos amadores estão outros tesouros, como um medalhão em ouro da Idade do bronze, com 3500 anos, e com um design "surpreendentemente moderno", de acordo com os especialistas do museu. Outro objeto digno de nota é um relógio de bolso do século XVII.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG