Encontradas ossadas de primo anão do T-Rex

Há 92 milhões de anos, um parente do Tiranossauro Rex com menos de um metro de altura vivia junto com os grandes gigantes do Jurássico.

Suskityrannus hazelae é um novo dinossauro. Parente do famoso e terrível Tiranossauro Rex (T-Rex), o rei do Jurássico, este novo animal era, no entanto, mais discreto. Uma espécie de primo anão do T-Rex, o Suskityrannus hazelae tinha apenas 0,91 centímetros de altura e 2,74 metros de comprimento.

A descoberta, anunciada esta segunda-feira, foi feita pelo departamento de Geociências da Universidade Virginia Tech, dos EUA e publicada na revista Nature Ecology& Evolution . Mas se a sua descoberta só agora foi anunciada, os seus ossos foram encontrados pelo líder da investigação - Sterling Nesbitt - quando este tinha apenas 16 anos e era um estudante do liceu e participava numa escavação no Novo México, em 1998, liderada por Doug Wolfe, autor do estudo agora publicado. O fóssil encontrado pertence a um animal que teria cerca de três anos.

Acredita-se que este primo do T-Rex pesasse na idade adulta entre 20 e 40 quilos, enquanto o próprio do T-Rex pesava 8 toneladas. A dieta seria uma das coisas em comum entre as duas espécies. Este Suskityrannus hazelae viveu há cerca de 92 milhões de anos no período do Cretáceo, durante o qual viveram alguns dos dinossauros mais famosos: Triceratopos, Velociraptor ou o Bractrossauro. Além, claro do Tiranossauro Rex.

Na revista Nature, Sterling Nesbitt refere que a descoberta "liga os tiranossauros mais antigos e mais pequenos do Norte da América e da China com os maiores que resistiram até ao final da extinção dos dinossauros não-aviários".

Antes do fóssil descoberto por Nesbitt já outro tinha sido encontrado, um ano antes, mas menos completo. E por 20 anos, os cientistas não souberam o que tinham em mãos. "Essencialmente, não sabíamos que era um primo do Tiranossauro Rex durante muitos anos", referiu à publicação. Ainda se pensou que as ossadas pertenciam a um Velociraptor, até terem percebido que se tratava de um Suskityrannus hazelae. Nome que junta Suski, o nome dado pela tribo americana Zuni aos coiotes, e Tyrannus, o nome latino para rei. Hazelae é uma homenagem ao professor AHzel Wolfe que apoiou a expedição.