Drones combatem a poluição em Banguecoque

Experiência com drones que lançam água mostra redução do nível de partículas na atmosfera.

Drones a voar entre os prédios, espirrando água. É o que está a acontecer em Banguecoque, na Tailândia, onde a poluição atmosférica atingiu níveis considerados de risco.

No início da semana, os níveis de micropartículas, que podem penetrar nos pulmões, eram de 185 microgramas por metro cúbico. Qualquer valor acima de 150 é considerado muito perigoso para as pessoas (abaixo de 50 é considerado bom).

Tentando minimizar a situação, o governo tailandês disponibilizou alguns drones que estão a lançar água na atmosfera e também produtos que ajudam a eliminar parte da poluição. Fotografias de um teste realizado na passada terça-feira mostram um drone amarelo a lançar um "spray químico mas não perigoso". Segundo o Instituto da Tecnologia de Banguecoque depois de os drones estarem ativos por menos de uma hora num parque da cidade o nível de partículas no ar tinha baixado para menos de 10 microgramas por metro cúbico, em média.

O governo tailandês não sabe ainda se este método pode ser usado em larga escala, por isso os testes irão continuar.

Exclusivos