Clima. 36% de Portugal continental em seca severa e extrema

A seca meteorológica mantinha-se em finais de outubro no Sul do país, onde a quantidade de chuva foi inferior aos valores normais do mês. O Instituto Português do Mar e da Atmosfera assinalou ainda "um desagravamento" da seca nas regiões do Norte e Centro.

Parte do território continental (36%) mantinha-se no fim de outubro em seca severa e extrema, divulgou esta terça-feira o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), assinalando "um desagravamento" da seca nas regiões do Norte e Centro.

Segundo o boletim climatológico mensal do IPMA, a seca meteorológica mantinha-se em finais de outubro na região Sul, onde a quantidade de chuva foi inferior ao normal para outubro, tendo a percentagem de água no solo continuado abaixo dos 20% nas zonas do Alentejo e Algarve, mas também em "alguns locais" do Vale do Tejo.

Em contrapartida, em alguns sítios das regiões do Norte e do Centro, onde se verificaram "valores significativos de precipitação" na zona litoral a partir de 13 de outubro, houve um aumento da percentagem de água no solo face a setembro.

Em termos médios, a quantidade de chuva registada em outubro corresponde em todo o território de Portugal continental a 81% do valor normal mensal.

Do ponto de vista das temperaturas, outubro foi classificado pelo IPMA como normal, muito embora as máximas tenham ultrapassado em média 1,19ºC em relação ao normal (com a temperatura máxima a situar-se em média nos 22,42ºC). As mínimas, por sua vez, foram em média 0,11ºC inferiores ao normal (com a temperatura mínima a fixar-se em média nos 11,08ºC).

De acordo com o boletim climatológico, 31,9% do território continental estava em 31 de outubro em seca severa, 4,3% em seca extrema e 33,5% em seca moderada.

Já em 30 de setembro, 36% da área de Portugal continental estava em seca severa e extrema.