Água do mar está mais fria no Algarve do que no Minho. A culpa é do vento

Na praia da Luz a água do mar está a 15 graus, enquanto em Ofir (Esposende) regista 18 graus. A intensidade do vento de norte é maior a sul e é responsável por esta variação.

Nas regiões mais a sul do país, em especial na costa ocidental mas mesmo em algumas zonas do Algarve, a água do mar está mais fria do que no norte do país. A culpa é do vento norte que tem soprado com mais intensidade a sul do cabo Carvoeiro o que provoca o afloramento costeiro, levando as camadas de águas mais profundas, e mais frias, a subirem até à superfície junto à costa. Pode ser desagradável para os banhistas mas gera nutrientes e agrada aos peixes.

Em Lisboa, na praia de Carcavelos, a temperatura da água do mar será de 15 a 16 graus Celsius para este sábado. Mais para sul, a Costa da Caparica regista 16 graus, enquanto em Porto Covo a água está ao mesmo nível de Lisboa. No Algarve, onde por norma a temperatura é mais elevada, por estes dias isso não se nota muito quando se entra no mar. Albufeira tem uma previsão de temperatura de água do mar de 16 a 17 graus para este sábado. Armação de Pera tem 16 graus, tal como a praia do Vau, em Portimão. E a praia da Luz, em Lagos tem previsão de 15 graus de temperatura da água. Nestes concelhos, o vento sopra de norte/noroeste o que é decisivo. Só nos concelhos em que a influência do Mediterrânico é mais imediata, com vento de sul ou sudoeste, é que a temperatura da água sobe, como são exemplos Faro, com 18 graus, ou Tavira com 18/19 graus.

A norte, os números até mostram em muitos casos temperaturas da água mais elevadas. Viana do Castelo apresenta um registo de 17 graus de temperatura da água do mar à superfície. Em Ofir, Esposende, um pouco mais a sul, a temperatura ainda é mais alta, atingindo os 18 graus e na Apúlia, no mesmo concelho do distrito de Braga, as previsões são de 19 graus na água do mar para este sábado. Em Matosinhos, junto ao Porto, oscila entre os 16 e os 17 graus.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), no âmbito das suas previsões meteorológicas, não tem grande preocupação em controlar a temperatura da água do mar. Por isso, não tem uma explicação detalhada. Em termos gerais, trata-se de um fenómeno conhecido como afloramento costeiro ou up-welling. "Quando o vento está de norte, na costa ocidental, empurra a camada superficial da água do mar. Com isso, a camada de água mais profunda vem à superfície junto à costa", explica a meteorologista do IPMA, Paula Leitão. Assim, a água fica mais fria. A norte, "tem havido muitos dias com nebulosidade e vento pouco intenso", o que trava a subida até à costa das camadas mais frias do mar.

É bom para a sardinha

O que tem acontecido, por estes dias, é que a norte do Cabo Carvoeiro não tem soprado vento com intensidade, ao contrário das regiões a sul, em que as nortadas têm sido frequentes. Desta forma, a costa ocidental mais a sul, até ao Algarve, regista uma temperatura da água do mar mais baixa do que habitual. No norte acontece o inverso com temperaturas um pouco mais altas, mantendo-se a tendência que o IPMA deu conta em julho de temperaturas da água do mar um pouco mais quentes, nos 19 graus, devido às condições do vento na costa ocidental portuguesa. "Não é invulgar, é frequente a boia de Leixões atingir os 20 graus", aponta a meteorologista.

Se para os banhistas, a água mais fria não é muito apelativa, para os pescadores a situação é diferente. O peixe procura estas águas mais frias. "A água mais fria, à superfície, é também mais rica em nutrientes o que é bom para o peixe. Há mais peixe, sobretudo sardinhas", adianta Paula Leitão.

As previsões para os próximos dias indicam que o vento irá diminuir a sul, prevendo-se também um pequena subida da temperatura, pelo que é natural que as praias mais a sul passem a ter uma temperatura da água do mar mais agradável. Sábado será um dia com menos vento e, ao final da tarde, o norte ficará com o céu nublado. À noite o Minho já deve ter chuva, fraca. No domingo haverá nevoeiro e nebulosidade, com alguma chuva fraca. "Na terça-feira haverá um pequena subida da temperatura e menos vento", indica o IPMA.

As observações da temperatura da água do mar são obtidas através da rede de boias do Instituto Hidrográfico, já que o IPMA não dispõe de boias para monitorização da temperatura da água do mar à superfície, mas recorre também a sistemas de deteção remota por satélite.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.