Abandono escolar atinge a taxa mais baixa de sempre

Percentagem dos jovens adultos que deixaram a escola sem terem pelo menos o secundário completo baixou para os 11,8% em 2018. Ministério congratula-se com números mas admite que ainda não chegam

A taxa de abandono escolar precoce, indicador que mede a percentagem de jovens entre os 18 e os 24 anos que não estão a estudar nem terminaram pelo menos o ensino secundário, baixou no ano passado para os 11,8%. Um mínimo histórico, que representa quase um ponto percentual a menos do que os 12,6% registados um ano antes.

Em comunicado, o Ministério da Educação congratulou-se com os números agora divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), lembrando que era um dos principais objetivos do governo combater este flagelo, "uma das grandes vulnerabilidades do sistema educativo português, com profundos impactos também ao nível do crescimento económico e da igualdade de oportunidades".

Ainda assim, admite que este foi apenas mais um passo num percurso que está longe do seu fim: "enquanto houver jovens que abandonam a escolaridade obrigatória, este trabalho não está cumprido".

Para prosseguir a evolução, o Ministério promete reforçar a aposta em medidas adotadas nesta legislatura, como o Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar, as tutorias para alunos com históricos de insucesso e em risco de abandono, a promoção da escola inclusiva e a valorização das diferentes modalidades do ensino secundário, entre outras.

Exclusivos