Worten e El Corte Inglês reclamam e DECO mantém acusações

DECO acusou as empresas de aumentar preços nos dias de Black Friday para os descontos parecerem maiores. Worten justifica que fez outra campanha antes. El Corte Inglês reclama que não fez Black Friday.

"Para todos os efeitos, fizeram promoções. E o que está em causa é a prática comercial", respondem os técnicos da DECO/ProTeste aos responsáveis do El Corte Inglês. A empresa costuma fazer Black Friday no dia seguinte ao Natal, o que mais uma vez deverá fazer este ano, mas apresentou a campanha Dias Mágicos nos mesmos três dias, 27, 28 e 29 de novembro (http://blog200porcento.com/antevisao-dias-magicos-black-friday).

A assessoria de imprensa do El Corte Inglês disse ao DN que não aumentaram os preços nessa campanha, o que é desmentido pelo estudo da DECO.

"No período de 16 a 26 de novembro, o televisor Samsung UE55JU7500LXXN e a impressora HP Envy 5530 registaram um preço mínimo de 1869,15 euros e 92,65 euros respetivamente. No dia 27 de novembro (dia da Black Friday) este televisor estava à venda por 1759,2 euros com um desconto anunciado de 20%. No entanto, se compararmos este preço ao preço mínimo, o consumidor teve uma poupança de apenas 6%. O mesmo se verificou com a impressora, que estava à venda por 69 euros com um suposto desconto de 37%. Mas ao compararmos o preço de dia 27 com o preço mínimo obtemos apenas um desconto de 26%", explicam os técnicos da DECO. [4914219]

Também a Worten reclamou do estudo, esta empresa através de um comunicado. "Os dois artigos mencionados (TV LG e smartphone Samsung) estiveram em promoção em períodos anteriores a esta campanha, tendo voltado ao preço base dias antes" da Black Friday.- ofereceram um desconto de 20% em talão em todos os artigos da loja. "Os dois artigos referidos pela DECO não foram, naturalmente, excluídos da campanha em causa, visto esta ser transversal a todos os produtos".

Em causa o televisor LG 55UF770V que tinha um preço anterior de 1099 euros, subiu depois para 1799 euros e na Black Friday foi vendido a 1439,20 euros, mais 340,20 euros. O comunicado informa que "foi vendido apenas um televisor deste modelo, tendo sido oferecido ao cliente a possibilidade de acumular o desconto em vigor com o desconto anterior".

O segundo artigo é o smartphone Samsung Galaxy S4 que "viu o seu preço aumentar 100 euros a 24 de novembro. Na Black Friday, três dias depois, tinha um desconto de apenas 80,99 euros", diz a DECO.

O estudo da DECO comparou os preços de 1862 produtos nas lojas online Box Jumbo, El Corte Inglés, Fnac, Phone House, Radio Popular, Staples e Worten , antes e durante o período de descontos da Black Friday,. Concluiram que "algumas subiram, em média, o preço de 10% dos produtos analisados.

Na "Worten, Radio Popular e Fnac, o preço na Black Friday era superior ao praticado nos dez dias anteriores". Mas os casos mais frequentes foram aqueles em "que o desconto anunciado era mais baixo do que o real nestas três lojas, mas também no El Corte Inglés e na Phone House".

Na Box Jumbo e na Staples não se verificaram irregularidades.

A DECO denunciou as situações à ASAE e à Direção-geral do Consumidor. E pediram a intervenção do Ministério da Economia para que as lojas apresentem a variação dos preços praticados nos últimos 30 dias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG