Tráfico através de "mulas" tem subido nos últimos anos

O brasileiro que morreu no avião a caminho de Dublin levava cocaína no estômago. Entre 2012 e 2014, a PJ deteve 593 "mulas"

Mistério desfeito. O cidadão brasileiro que morreu a bordo do avião era, afinal, um correio de droga, que transportava perto de 800 gramas de produto estupefaciente no estômago entre Lisboa e Dublin. Bastou que uma das 80 cápsulas que ingeriu rebentasse, como foi apurou na autópsia, para lhe provocar a morte súbita em poucos minutos, ainda dentro do aparelho. Identificado pelo jornal Irish Times como John Kennedy Santos Gurjao, este homem de 24 anos é apenas a mais recente vítima deste método de tráfico de droga, cuja apreensão têm aumentado em Portugal, apesar da imaginação quase sem limites de quem tenta fintar as autoridades para fazer chegar a droga ao destino.

Terá à sua espera uma recompensa de três mil a quatro mil euros, revelou ao DN fonte policial, depois de entre 2012 e 2014 a PJ ter detido um total de 593 correios de droga, encontrando estupefacientes no interior do organismo de 113 "mulas". A curva dos últimos três anos é ascendente: 180 apreensões em 2012, 194 em 2013 e 219 em 2014.

O apuramento da substância que a vítima transportava no estômago ainda aguarda pelo resultado dos exames toxicológicos, mas as autoridades admitem tratar-se de cocaína. Multiplicando os 800 gramas por 68,97 euros (atual valor do grama na rua) a mercadoria poderia render perto de 56 mil euros.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG