Torres Vedras pede fecho das escolas, militares na rua e mais médicos e enfermeiros

Escolas estão entre as medidas de exceção do novo Estado de Emergência. Município já cancelou o Carnaval deste ano e tem um surto no hospital com mais de 130 infetados

A Câmara Municipal de de Torres Vedras pediu ao Ministério da Educação para encerrar as escolas do Concelho devido ao elevado número de casos covid-19. A novidade foi revelada pelo presidente do município, Carlos Bernardes, na reunião pública do Executivo de segunda-feira, soube o DN.

O delegado de Saúde da região em cooperação com a vice-presidente e presidentes de agrupamentos escolares e a proteção civil elaboraram um documento a justificar o fecho das instituições de ensino, que o edil disse ter encaminhado para o ministro Tiago Brandão Rodrigues.

Carlos Bernardes defendeu ainda a necessidade do Exército Português ir para a rua "em regime de patrulhamento de proximidade para dar confiança aos concidadãos em estreita cooperação com a GNR e com a PSP". E pediu "mais enfermeiros e médicos", revelando que já falou com "quem de direito sobre isso".

Os especialistas não se entendem quanto ao assunto e o Governo optou por manter as escolas abertas. No entanto há muitos municípios a querer encerrar as instituições. Na segunda-feira por exemplo, Campo Maior decidiu fechá-las.

Há dias a Câmara Municipal decidiu cancelar o Carnaval previsto para fevereiro e pelo segundo ano consecutivo devido à pandemia. O concelho tem cinco surtos em lares (328 infetados) e no hospital de Torres Vedras, onde há 153 infetados e a situação é cada vez mais crítica, com as ambulâncias com doentes covid-19 a fazer fila à porta das urgências.

Segundo o último boletim do concelho de Torres Vedras (17 de janeiro) há uma média de 60 novos casos por dia, num total de 1020 casos ativos de infeção por SARS-CoV-2, que se encontram a ser acompanhados pelas autoridades de saúde e 1904 contactos sob vigilância ativa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG