Agendamento errado para jovens de 16 e 17 anos causou confusão em Sintra

Viveram-se momentos de alguma tensão em Sintra quando as famílias de cerca de 60 jovens agendados para centros de vacinação deste concelho foram informados de que estes não iriam ser vacinados

Cerca de seis dezenas de jovens com 16 e 17 anos compareceram este sábado em centros de vacinação do Agrupamento de Centros de Saúde de Sintra, para onde tinham sido marcados através do auto agendamento, mas foi-lhes recusada a vacina contra a covid-19 por não ser este o fim de semana previsto para esta faixa etária.

A situação acabou por causar alguns momentos de tensão entre os funcionário e os familiares que acompanhavam os jovens, indignados com a desorganização, como foi o caso de uma mãe que testemunhou ao DN ter vindo de propósito do Algarve, onde estavam de férias.

"Apesar de morarmos em Almada, quando fizemos o auto agendamento o meu filho foi marcado automaticamente para o centro de vacinação no pavilhão da Serra da Mina neste dia, o que nos surpreendeu logo à partida. Como não queríamos de modo nenhum faltar fizemos 300 quilómetros de propósito até Sintra, para afinal não ser vacinado", relatou.

Ao que o DN conseguiu apurar junto a fontes ligadas às autoridades de saúde, a situação, que atingiu entre 50 a 60 jovens de 16 e 17 anos, terá sido resultado de um problema informático no sistema central de auto agendamento do ministério da Saúde.

O que está definido é que a vacinação dos jovens com 16 e 17 anos seja em exclusivo realizada no próximo fim de semana, de 14 e 15 de agosto, e depois de segunda a sexta-feira em sistema de "casa aberta" (sem agendamento prévio).

O auto agendamento esteve disponível em exclusivo para esta faixa etária desde a passada terça-feira, supostamente com vagas apenas para os dias 14 e 15.

O coordenador da task force, Almirante Gouveia e Melo, tinha apelado esta semana a que todos os jovens elegíveis, cerca de 200 mil, aproveitem a "janela de oportunidade" para serem vacinados nesse fim de semana, admitindo que, caso não consigam, terá de ser encontrada "outra estratégia".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG