Portugal perde população há 12 anos consecutivos

O número de mortes aumentou 10,2% e o número de nascimentos caiu 2,6% em 2020 face a 2019, o que determinou "um forte agravamento do saldo natural", negativo há 12 anos em Portugal, revelam dados do INE.

Portugal registou 84.558 nados-vivos e 123.467 óbitos em 2020, incluindo nascimentos e mortes no estrangeiro, indica a publicação "Estatísticas vitais 2020 - Dados preliminares" do Instituto Nacional de Estatística. Em 2019 o número de mortes foi de 112.291 e o de nascimentos de 87.026.

"No contexto da pandemia Covid-19, o aumento do número de óbitos, assim como o decréscimo do número de nados-vivos, determinaram um forte agravamento do saldo natural (-38 856). Há 12 anos que o saldo natural é negativo", sublinha o INE.

De acordo com os dados preliminares apurados com base em informação registada nas Conservatórias do Registo Civil, o número de nados-vivos de mães residentes em Portugal em 2020 foi de 84.296, contra 86.579 em 2019 e o número de óbitos em Portugal foi de 123.152 em 2020, contra 111.793 em 2019.

Fora de Portugal nasceram 262 cidadãos portugueses em 2020, enquanto em 2019 nasceram 447, e morreram 315 pessoas no ano passado, contra 498 em 2019.

O INE ressalva que no contexto atual da pandemia Covid-19, poderá verificar-se um maior desfasamento entre o momento do nascimento e o momento do registo, com implicações na entrada de registos de nados-vivos no INE e consequente possibilidade de revisão dos dados agora divulgados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG