Robô descontrolado mata mulher em fábrica

Marido da vítima, uma mãe de três filhos, apresentou queixa-crime contra a fábrica de produção automóvel

Wanda Holbrook, uma operária de 57 anos numa fábrica de produção automóvel, no Michigan, Estados Unidos, morreu esmagada por maquinaria robótica e foi declarada morta no local, em julho de 2015. Um robô dos vários que ajudam a montar as partes de automóveis começou a mover-se, inesperadamente, e esmagou o crânio da técnica de manutenção.

O marido da vítima, William Holbrook, apresentou uma queixa-crime no tribunal federal de Michigan por homicídio por negligência contra cinco companhias de robótica: Prodomax, Flex-N-Gate, FANUC, Nachi e Lincoln Eletric.

As células na seção onde se encontrava Wanda estão separadas por portas de segurança e não era suposto o robô atingi-la mas o facto é que a atingiu, alega a queixa-crime, segundo noticiado no jornal The Independent.

A morte de Wanda devastou o marido, os três filhos, os netos e dezenas de operários que assistiram ao seu funeral, alega a queixa-crime.

As mortes causadas por robôs são raras. A primeira terá ocorrido em 1979, quando um trabalhador morreu atingido pelo braço de um robô numa linha de produção de uma fábrica da Ford em Flat Rock, Michigan.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG