Startup chinesa quer ser a primeira a lançar um smartphone flexível

Chineses estão em competição direta com a Samsung, que já prometeu para 2016 o lançamento do primeiro ecrã tátil que se dobra

Depois de inúmeros protótipos de smartphones flexíveis que nunca chegaram a ser desenvolvidos ou comercializados, uma startup chinesa vai lançar este ano o primeiro dispositivo do género, em competição com a Samsung, que tem previsto fazer o mesmo também em 2016.

A notícia foi revelada esta semana pela Bloomberg, que confirma o lançamento do smartphone flexível desenvolvido pelo Moxi Group. O protótipo está criado e a estratégia de vendas já estará definida.

O dispositivo é comparado a uma espécie de Kindle, o leitor de livros eletrónicos desenvolvido pela Amazon. Tem um ecrã tátil e pode transformar-se numa bracelete sempre que necessário.

A primeira versão será a preto e branco, devido aos gastos de energia que implica o recurso à cor. O modelo a cores será lançado mais tarde, se os resultados forem favoráveis, referiu o vice-presidente do Moxi Group, Chongsheng Yumuito. E também porque desta forma a startup conseguirá ultrapassar a Samsung e ser a primeira a colocar o smartphone flexível no mercado.

Segundo a empresa, deverão estar em circulação na China cerca de 100 mil unidades até ao final do ano. Cada smartphone será vendido por cerca de 680 euros. Para já, a China será o único país onde este modelo será comercializado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG