Porto. Estudante morreu de queda e não de agressões

PJ confirma que morte de Joel, de 20 anos, foi acidental. O jovem caiu para trás e bateu com a cabeça no chão quando se afastava dos quatro estudantes que o agrediram

Uma morte infeliz mas acidental. A PJ do Porto excluiu o homicídio como causa da morte de Joel Rafael, de 20 anos, o estudante universitário que hoje morreu depois de ter estado envolvido em escaramuças com outros quatro estudantes, à saída de uma festa da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), pelas 4.30 da manhã.

Os jovens estavam todos alcoolizados. Uma amiga de Joel foi separá-lo dos outros estudantes com quem estava a discutir, no meio de empurrões e agressões. "Ao afastar-se desse grupo, o estudante caiu para trás e bateu com a cabeça no chão de cimento". Foi essa queda com impacto a causa da morte e a mesma não foi provocada pelas agressões, precisou a fonte da PJ.

Os quatro estudantes envolvidos nas agressões fugiram do local de carro mas foram todos localizados e identificados esta tarde pela PJ. Não virão a ser detidos nem constituídos arguidos. Para que seja aberto inquérito pelo crime de ofensas à integridade física simples é preciso apresentação de queixa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG