PJ participa em megaoperação internacional que apreendeu 11 milhões

Seis pessoas foram detidas em Itália. Em Portugal, autoridades fizeram seis buscas e bloquearam diversas contas bancárias

A Polícia Judiciária participou, através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC), numa megaoperação a nível internacional, a 'Operazione Barqueiro', no âmbito da cooperação internacional com a Guardia di Finanza de Modena, Itália. Em comunicado, a PJ informou esta terça-feira que a operação desencadeada em simultâneo em vários países europeus investiga uma associação criminosa internacional "com epicentro em Itália e com ramificações na Albânia, na Eslovénia, Espanha e também em Portugal".

As autoridades suspeitam de crimes de branqueamento de capitais, fraude fiscal qualificada, insolvência dolosa e associação criminosa.

O mesmo comunicado refere que a PJ, em particular, efetuou seis buscas (domiciliárias, não domiciliárias, a viaturas e a escritório de advogados) e foram bloqueadas em Portugal diversas contas bancárias. Foi ainda apreendida diversa documentação, material informático e uma viatura. Envolvidos nestas ações estiveram 24 elementos da PJ, um procurador e um juiz de instrução criminal e ainda dois elementos da Guardia di Finanza.

A nível internacional, foram realizadas 43 buscas em simultâneo, indica a Guardia di Finanza. Em Itália, foram detidas seis pessoas e apreendidos bens e valores no total de 11 milhões de euros, incluindo um hotel. A investigação iniciou-se há cerca de um ano em Itália, com contributo da EUROJUST em articulação com o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

Em comunicado, a Procuradoria-Geral da República indica que, em resposta ao pedido de cooperação judiciária internacional das autoridades italianas, o Ministério Público português dirigiu as diligências de busca e determinou a apreensão de saldo de 77 contas bancárias e de um veículo.