PJ deteve estudante que preparava atentado na Faculdade de Ciências

Tem 18 anos, é estudante de engenharia e tem nacionalidade portuguesa o suspeito que a Unidade Nacional de Combate ao Terrorismo prendeu esta quinta-feira em Lisboa. O atentado seria contra estudantes da Faculdade de Ciências

A Policia Judiciária (PJ) deteve um jovem de 18 anos, em Lisboa, suspeito de estar a preparar um atentado terrorista contra estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, no Campo Grande.

A PJ apreendeu o plano operacional e armas que o suspeito, de nacionalidade portuguesa, tinha na sua posse e pretendia utilizar no atentado.

Ao que o DN apurou o jovem pretendia realizar o atentado contra estudantes da Faculdade de Ciências, estabelecimento que também frequentava. Até agora a investigação não identificou motivações religiosas, mas apenas um culto de violência neste jovem.

Entre o material apreendido nas buscas na casa do jovem em Lisboa não havia armas de fogo. Havia, porém, catanas, bestas, outras armas brancas e botijas de gás, com que o jovem pretendia levar a cabo o atentado planeado ao pormenor, como o objetivo de matar o maior número de pessoas possível.

Segundo a CNN a informação foi transmitia à PJ pelo FBI e o atentado estaria preparado para esta sexta-feira. De acordo ainda com esta estação televisiva "as autoridades norte-americanas, na monitorização que fazem da Internet em geral, das redes sociais e da dark web como prevenção do fenómeno do terrorismo, detetaram conversas em chats nas quais intervinha o jovem português - onde este anunciava a intenção que tinha de cometer um atentado em Portugal."

Em comunicado a PJ adianta que "a investigação foi desencadeada por suspeitas de atentado dirigido a estudantes universitários da Universidade de Lisboa" e que "face à gravidade das suspeitas, foi atribuída a máxima prioridade à investigação, a qual permitiria, no dia hoje, às primeiras horas do dia, interromper a atividade criminosa em curso".

Acrescenta que "na sequência das buscas realizadas, seriam apreendidos vastos elementos de prova, que confirmariam as suspeitas iniciais. Para além de várias armas proibidas, seriam igualmente apreendidos outros artigos suscetíveis de serem usados na prática de crimes violentos, vasta documentação, isto, para além um plano escrito com os detalhes da ação criminal a desencadear".

O suspeito foi detido em flagrante delito pela posse das referidas armas e "encontra-se igualmente indiciado pela prática do crime de terrorismo".

Será amanhã presente a primeiro interrogatório judicial.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG